conecte-se conosco

Polícia

Corpo de parnanguara é encontrado dentro de cova em Joinville

Fagner Martins Grassmann, vulgo “Escuro”, era foragido da Justiça

Publicado

em

O corpo de Fagner Martins Grassmann, de 27 anos, conhecido como “Escuro”, foi encontrado por populares no começo da tarde de domingo, 5, por volta das 13h, em um matagal, no bairro Paranaguamirim, em Joinville.

“Escuro” morava na Ilha dos Valadares, em Paranaguá, e estava sendo procurado pela Justiça. Contra ele havia um mandado de prisão em aberto por envolvimento em um homicídio ocorrido recentemente, na cidade.

Policiais civis investigam a participação de Fagner em outros crimes registrados no litoral paranaense.

O corpo de Fagner Martins Grassmann, vulgo “Escuro”, foi encontrado em um
matagal, no bairro Paranaguamirim, em Joinville – Foto: Arquivo

COVA


A Polícia Militar do Estado vizinho foi acionada por populares e encontrou o corpo de Fagner, que estava com as mãos amarradas, dentro de uma cova rasa.

O local foi isolado e após ser periciado, o corpo foi recolhido por equipes do Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina.

Familiares de Fagner estiveram na sede do órgão e liberaram o corpo.

CARBONIZADO

Ainda na tarde de domingo, 5, por volta das 14h, outro corpo foi recolhido pelo Instituto Geral de Perícias, na cidade de Joinville.

Um carro completamente destruído pelo fogo foi encontrado na Estrada do Pico, no distrito de Pirabeiraba.

O outro corpo foi recolhido pelo IGP estava na margem do Rio Cubatão, perto de um carro
completamente destruído pelo fogo, na Estrada do Pico – Foto: PM/Divulgação

Perto do veículo, nas margens do Rio Cubatão, os policiais que atenderam a ocorrência encontraram o corpo carbonizado de um homem.

Durante o trabalho de perícia realizado na área onde o crime aconteceu, foram encontradas manchas de sangue entre o carro e o corpo da vítima.

O corpo permanece sem identificação no IML – Instituto Médico Legal de Joinville.

INVESTIGAÇÃO

A Polícia Civil de Santa Catarina investiga se os dois casos registrados em menos de uma hora têm ligação.

A Polícia Civil de Santa Catarina investiga se os dois casos registrados na cidade de Joinville têm ligação – Foto: PM/Divulgação

Com informações dos sites NDMAIS e O Município Joinville

Continuar lendo
Publicidade

Em alta