conecte-se conosco

Meio Ambiente

Portos do Paraná promovem campanha #meadota no Dia Mundial dos Animais de Rua

Ação acontece em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente

Publicado

em

No Dia Mundial dos Animais de Rua, que acontece nesta segunda-feira, 4, a Portos do Paraná promove a campanha #meadota, que busca encontrar um lar para cães e gatos abandonados. A ação faz parte do projeto Porto Cidade e acontece em parceria com a Prefeitura de Paranaguá, através do setor veterinário da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma).

“A ideia é usar os canais de comunicação do porto para divulgar a importância da guarda responsável, do não abandono aos animais e do cuidado com os animais domésticos” conta João Paulo Santana, diretor de Meio Ambiente da Portos do Paraná.

“A integração entre o porto e os assuntos que envolvem a comunidade são fundamentais para que as pessoas percebam o quanto a atividade portuária está presente no dia a dia de todos. Em Paranaguá, o projeto Porto Cidade leva temas de educação ambiental, mensalmente, aos bairros parnanguara. Faremos o mesmo também em Antonina, com ação no próximo dia 19”, adianta.

SOBRE A ADOÇÃO

Hoje, mais de 100 animais, entre cães e gatos, esperam por adoção na Semma de Paranaguá. Para agendar visita e conhecê-los, basta ligar para o (41) 3420 6141.

Os interessados devem apresentar RG e CPF, comprovante de residência, guia ou caixa para o transporte seguro dos bichinhos.

Segundo a diretora do departamento veterinário da Secretaria, Thabata Nicetto, os animais adultos são doados castrados e os filhotes têm castração garantida pela prefeitura, ao atingirem a idade e peso ideal.

Foto: Divulgação/Portos do Paraná

GUARDA RESPONSÁVEL

Quem compra ou adota um animal de estimação assume responsabilidade sobre ele durante toda sua vida. Portanto, antes de se decidir pela adoção, alguns pontos devem ser avaliados.

Procure saber o tempo de vida médio do animal e suas características físicas e comportamentais. Confira se existe espaço físico necessário para ele viver confortavelmente e avalie suas condições econômicas para prover alimentação e assistência médica veterinária adequada. Pense também que é necessário possuir tempo disponível para convívio com seu novo amigo.

Segundo Thabata, ao adotar um animal de rua, a pessoa contribui também com a cidade. “Animais de rua rasgam lixo, acabam espalhando restos de comida, que atraem baratas, moscas, ratos e outros animais nocivos. Recipientes plásticos carregados por eles, podem depois virar foco de mosquitos da dengue quando acumularem água. Isso sem falarmos em pulgas, carrapatos, bicho geográfico, além de outras zoonoses”, explica.

SOBRE A DATA

Em 4 de abril de 2010, aconteceu a Primeira Conferência Holandesa de Animais de Rua, quando diversas organizações responsáveis pelo cuidado e proteção dos animais se reuniram para discutir sobre o assunto.

A data faz referência ao 4 de outubro, comemoração do Dia Mundial dos Animais. Não é coincidentemente que marca exatamente a metade de um ano. A ideia é que a partir dessa lembrança se gere uma reflexão sobre a situação em que muitos animais de rua vivem.

Fonte: Portos do Paraná