conecte-se conosco

Meio Ambiente

Portos do Paraná encerram ciclo dos Seminários da Pesca 2022

Monitoramento da pesca artesanal é feito em sete entrepostos

Publicado

em

Foto: Pierpaolo Nota

A última edição do ciclo dos Seminários da Pesca 2022 acontece na quinta-feira, 30, na Ilha de Amparo, no Litoral. Coordenados pela Portos do Paraná, este ano os encontros já foram realizados em Antonina, Ilha dos Valadares, Eufrasina e Guaraqueçaba.

O objetivo é apresentar aos pescadores os dados de produção levantados através do Programa de Monitoramento da Atividade Pesqueira, desenvolvido pela empresa pública, além de levantar sugestões, observações e anseios dos pescadores locais.

“Estamos no Ano Internacional da Pesca Artesanal, o que nos motiva ainda mais a provocar um maior envolvimento, interação e troca de experiência com os pescadores. Nosso foco é escutar e auxiliar nas demandas”, explica a bióloga Jaqueline Dittrich, da Portos do Paraná.

METODOLOGIA

O monitoramento da pesca artesanal é feito em sete entrepostos localizados ao longo da Baía de Paranaguá, desde o Portinho em Antonina, até Pontal do Sul, em Pontal do Paraná. Nesses locais, profissionais coletam dados dos barcos que chegam do mar. Nome da embarcação, quantidade de pescado, local da pesca, preço da comercialização, tipo do beneficiamento do pescado, entre outros.

Estimativa é de que em 2021 tenham sido monitoradas cerca de 800 embarcações de pesca artesanal na região (Foto: Pierpaolo Nota)

“A partir desses dados os pescadores têm o conhecimento daquilo que produzem, o que pode ser uma grande ferramenta, por exemplo, para conseguirem crédito. Conseguem provar que são pescadores, com produção atestada”, diz José Hugo Dias, especialista em monitoramento da pesca artesanal.

APROVAÇÃO 

Ademir Costa Freire, presidente da Colônia de Pescadores Z8 de Antonina e diretor de Pesca do município, diz que o seminário é bem-vindo. “Traz aos nossos pescadores informações sobre o que pescamos dentro do litoral de Antonina. Conseguimos ver o resultado”.

Rosene Aparecida Passo, presidente da Associação de Moradores de Eufrasina, destaca o monitoramento como altamente produtivo. “Gostaria que todos os pescadores estivessem presentes para obter essas informações repassadas, de suma importância para que se desenvolvam ações em relação à pesca artesanal”.

A estimativa é de que em 2021 tenham sido monitoradas cerca de 800 embarcações de pesca artesanal na região, diversas vezes, em situações, horários e locais diferentes.

Fonte: Portos do Paraná