Connect with us

Coronavírus

Prefeito destaca ações antecipadas para controle da Covid-19 em Paranaguá

Marcelo Roque salienta agilidade do município na adoção de medidas

Publicado

em

Durante março, mês do início da pandemia do novo Coronavírus no Brasil e no Paraná, de forma antecipada à confirmação do primeiro caso da Covid-19 em Paranaguá, que ocorreu só no início de abril, o prefeito Marcelo Roque decretou a suspensão das aulas, paralisação das atividades comerciais e outras medidas restritivas de circulação de pessoas, como forma de prevenção à doença. No mês passado, se adiantando à maioria dos municípios, bem como ao Paraná, a prefeitura tornou o uso de máscaras de proteção individual obrigatório em Paranaguá, medida que nas últimas semanas passou a ser também adotada por cidades em todo o Brasil.

Outra ação contra a circulação do vírus foi o toque de recolher, aplicado pelo prefeito no final de março, medida que segue até a atualidade, das 22h às 6h. Além disso, o município está realizando higienização de diversos pontos de alta circulação de cidadãos em Paranaguá, instalou um hospital de campanha exclusivo para pacientes com suspeita ou confirmação da Covid-19, entre outras medidas, fazendo com que, até agora, a pandemia esteja controlada, com 16 casos confirmados da Covid-19 e três óbitos, um deles importado, em uma cidade que conta com cerca de 154 mil habitantes, segundo o IBGE.

Confira balanço do prefeito sobre as ações de enfrentamento ao Coronavírus e necessidade da continuidade do distanciamento social, higiene e prevenção à doença pelo município e toda a população:

Folha do Litoral News: Paranaguá realizou ações de distanciamento social muito antes da confirmação do primeiro caso de Covid-19. Qual a importância de a Prefeitura ter agido com antecedência para controle da pandemia?

Marcelo Roque: Ao percebermos que nossa população poderia ficar em risco começamos a discutir as primeiras providências a serem tomadas, juntamente com a equipe técnica da Secretaria Municipal de Saúde. Só agora sabemos que foi o melhor que poderíamos fazer naquele momento, porque o número de casos de contaminação em nossa cidade atualmente está abaixo dos níveis registrados na maioria dos municípios. Este está sendo um período de decisões muito difíceis, porque vínhamos em um ritmo acelerado de desenvolvimento, com obras acontecendo em todos os cantos de nossa cidade, quando de repente temos que reduzir a marcha, pisar no freio, para assim ter condições de verificar o que estava acontecendo no horizonte. Tivemos que quase parar nossa cidade e sei que esta é uma decisão que, mesmo muito difícil, foi a acertada. Sabemos que teremos reflexos dessas decisões pelos próximos meses, principalmente em nossa economia. Mas essa não é uma realidade única de Paranaguá, mas mundial. Ou seja, todos estão sofrendo e vão sofrer futuramente por conta desta pandemia. Tenho que destacar o trabalho de nossa equipe da Secretaria Municipal de Saúde e de outras pastas neste combate à pandemia.

Folha do Litoral News: Qual a importância das medidas de isolamento social feitas pela prefeitura para prevenção ao Coronavírus?

Marcelo Roque: Os administradores públicos estão passando por momentos bastante complicados. Estão tendo que tomar decisões muito duras, mas necessárias para o bom desenvolvimento da nossa sociedade. Minha visão é de que a vida sempre deve estar em primeiro lugar, porque sem ela nada acontece. Entretanto, a economia é importante também, pois dela depende o nosso futuro, mas temos que ser responsáveis para tomar a decisão com critérios técnicos.

Estamos fazendo avaliações constantes do quadro sobre a pandemia para tomarmos as ações.

Folha do Litoral News: Com relação ao hospital de campanha para pacientes com Covid-19, qual a importância do município disponibilizar esta área e o aumento de leitos?

Marcelo Roque: Temos que unir esforços para o bem da nossa população. Sabemos que a disponibilização de leitos hospitalares é de responsabilidade do Governo do Estado e isso está sendo feito pelo Hospital Regional do Litoral, com vagas na UTI e para atendimento de casos com menor gravidade, mas é importante fazermos nossa parte. Resolvemos transformar o prédio do Centro Municipal de Diagnósticos João Paulo II em um hospital de campanha, para termos retaguarda necessária no caso de aumentar bastante o número de pacientes que necessitem de internamentos. Logicamente que não é isso que queremos, mas temos que estar preparados.

Folha do Litoral News: A Prefeitura tem atuado na higienização da passarela da Ilha dos Valadares e em várias localidades do município. Como esta ação é programada e até quando ela irá ocorrer?

Marcelo Roque: Todas as ações que estamos tomando em relação à pandemia do Coronavírus não têm prazo para terminar. Ninguém pode estimar quando tudo isso vai acabar. A higienização da passarela da Ilha dos Valadares, por onde circula boa parte dos cerca de 30 mil moradores, é uma necessidade. Também estamos aplicando em outros prédios públicos e ruas, pois é uma medida essencial neste momento. Quanto mais ações de prevenção tomarmos, melhor. Mas nossa população tem que fazer sua parte, continuando em casa se for possível, lavando as mãos, usando álcool em gel e máscaras, por exemplo. Isso é muito importante para não termos um registro alto de casos na cidade.

Folha do Litoral News: Em abril houve reabertura escalonada do comércio local, com foco no distanciamento social e higienização dos estabelecimentos. Qual a importância da reabertura para a economia local? Há previsão de abertura de outros setores nas próximas semanas?

Marcelo Roque: Vamos tomando as decisões com base nos dados epidemiológicos, como já falei. O comércio é muito importante para nossa economia e não gostaríamos de manter fechados estes estabelecimentos. Por motivo de força maior estamos tendo que tomar essas atitudes. Mas a tendência é que aos poucos haja uma flexibilização e os estabelecimentos comecem a abrir, gradativamente.

Folha do Litoral News: Qual balanço o senhor faz do toque de recolher? A medida está surtindo efeito positivo? Pessoas já foram autuadas por desrespeito a essa medida?

Marcelo Roque: Estamos trabalhando com foco na orientação para nossa população e nossos comerciantes. Nosso intuito é que as pessoas fiquem conscientes de que a Prefeitura de Paranaguá está tomando essas ações extremas não por vontade própria, mas porque a pandemia determina.

O toque de recolher é uma medida importante, porque tínhamos muitos registros de pessoas formando aglomerações no período noturno.

Foi uma ação acertada e vamos mantê-la até quando considerarmos necessária.

Folha do Litoral News: Com relação à suspensão das aulas, qual a importância desta medida e como está sendo programada a retomada das atividades na rede municipal de ensino?

Marcelo Roque: Nesta semana prorrogamos por prazo indeterminado a suspensão das aulas na nossa rede municipal. Não temos como prever quando será possível o retorno dos nossos cerca de 17 mil alunos para as salas de aula. Com relação à reposição, também não é possível prevermos ainda. É um problema nacional que vamos discutir após a pandemia. Fechar as 800 horas/aula determinadas por lei vai ser um grande desafio, mas ainda não podemos definir como vai ficar a questão. A Secretaria Municipal de Educação disponibilizou aos alunos material no site da prefeitura, para que os pais possam realizar atividades com os filhos em casa, neste período de quarentena. O material não será cobrado, mas é importante que os pais incentivem a realização deles, para ajudar no desenvolvimento educacional das crianças. Aproveito para destacar que a prefeitura está com um trabalho de TV no canal 7.2 específico para informar nossa população sobre a pandemia do Coronavírus. Foi liberado pelo Governo Federal esse espaço e nossa equipe das secretarias de Educação e Comunicação estão se desdobrando para levar informação e entretenimento à população neste período de quarentena. Temos um programa específico para o público infantil, o Mundo Ludi, o Boletim Coronavírus, o Papo Direto, com entrevistas com diversas autoridades, e o Em Casa, com transmissões com artistas locais. Vale a pena prestigiar.

Folha do Litoral News: O uso de máscaras pela população foi estabelecido em Paranaguá de forma adiantada a outros municípios do Paraná. Qual a importância desta medida na prevenção à Covid-19?

Marcelo Roque: O uso de máscara é uma das várias medidas preventivas importantes para nos proteger do Coronavírus. Toda e qualquer medida que for determinada para proteger nossa população terá nosso apoio.

Folha do Litoral News: Deixe uma mensagem à população parnanguara neste período de enfrentamento ao Coronavírus:

Marcelo Roque: Peço ao povo de Paranaguá que nos apoie neste momento de tantas incertezas. Estamos fazendo tudo o que é necessário para proteger o povo parnanguara. Tivemos que tomar medidas amargas, que qualquer administrador público jamais pensaria que teria que tomar, mas tudo isso é para preservar a vida. Seguimos diariamente com a equipe da Secretaria Municipal de Saúde acompanhando a evolução desta pandemia, buscando informações para nortear nossas ações e assim sempre proteger nosso povo. Deus nos proteja neste momento tão delicado de nossas vidas. Vamos sair muito mais fortes desta situação.

“Estamos fazendo tudo o que é necessário para proteger a população. Vamos sair muito mais fortes desta situação”, afirma Marcelo Roque