conecte-se conosco

Coronavírus

Com avanço da vacinação no Brasil, média móvel de mortes por Covid-19 cai 60,4% após pico da Ômicron

Média móvel de casos reduziu 77,7% desde 5 de fevereiro

Publicado

em

Foto: Jonathan Campos/AEN

Na terça-feira, 22, o Ministério da Saúde (MS) divulgou um balanço da importância do avanço da vacinação contra a Covid-19 na redução de casos e mortes da Covid-19 desde o período de alta incidência da variante Ômicron em todo o Brasil. Segundo o MS, o País registrou queda de 60,4% na média móvel de óbitos desde o pico da letalidade da doença causada pela nova cepa, que ocorreu em 18 de fevereiro, até o atual momento, com o avanço da imunização, segundo o que informa o boletim epidemiológico da pasta do Governo Federal do dia 21 de março de 2022. 

“A média móvel de casos também variou negativamente: menos 77,7% desde o dia 5 de fevereiro, quando a pandemia atingiu a máxima histórica de casos, registrando média de 183 mil”, detalha o MS. De acordo com a assessoria, “a queda se deve principalmente à ampla campanha de vacinação contra a Covid-19, que fez o imunizante chegar a 91,38% da população acima de 12 anos, com a primeira dose (D1), e 85,35% desse mesmo público, na forma de dose única ou da segunda dose (D2)”, completa. 

O Ministério da Saúde orienta que os brasileiros tomem a dose de reforço (DR) contra o Coronavírus. A pasta afirma que, segundo estudo científico da Universidade de Oxford, na Inglaterra, o reforço na imunização gera aumento de até 100 vezes contra o Coronavírus. No Brasil, até o presente momento, 41% da população brasileira já tomou a DR.

De acordo com a Secretaria de Enfrentamento à Pandemia da Covid-19 (Secovid), do MS, um total de  59,4 milhões de brasileiros estão prontos para o recebimento da dose de reforço. “Contudo, ainda não voltaram aos postos de vacinação”, alerta a pasta federal. “A mesma pesquisa indica que a complementação do esquema vacinal está pendente para 17,6 milhões de pessoas, que só receberam a primeira dose”, acrescenta a assessoria.

“O Governo Federal distribuiu 464,8 milhões de vacinas contra a Covid-19 para dar suporte à campanha de vacinação. Dessas, 391,5 milhões de doses chegaram aos braços dos brasileiros como D1 e D2 – respectivamente 171,8 milhões e 153,7 milhões. Na etapa da dose de reforço, 63,3 milhões de brasileiros acima de 18 anos, público-alvo dessa estratégia, receberam a proteção. Quanto ao público infantil, 8,9 milhões de crianças entre 5 e 11 anos já tomaram a D1”, finaliza o Ministério da Saúde.

Com informações do Ministério da Saúde