conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Prefeitura realiza campanha de vacinação contra a Gripe na Ilha dos Valadares

Ação acontece a partir das 8h na Praça Ciro Abalém

Publicado

em

Na quarta-feira, 14, a Prefeitura de Paranaguá, através da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), realizará ação de vacinação contra a Gripe na Praça Ciro Abalém, na Ilha dos Valadares. A aplicação das doses do imunizante acontece a partir das 8h.

Durante todo o dia, as pessoas com idade a partir dos 6 meses poderão receber a imunização. A vacinação é voltada a toda a população.

A meta vacinal preconizada pelo Ministério da Saúde é de que ao menos 90% da população alvo tome a vacina. “Vacina da gripe também é importante, além de ter nos postos de saúde e na estação ferroviária, vamos fazer equipes itinerantes em vários bairros da cidade”, informou o prefeito Marcelo Roque.

O cidadão deve buscar o local com o documento original com foto, Cartão SUS e, preferencialmente, a carteira de vacinação. De acordo com a Semsa, é importante um intervalo mínimo de 14 dias entre a vacina contra a Covid-19 e a da Gripe.

A campanha terminaria no dia 9 de julho, mas o Paraná decidiu ampliar a vacinação contra a Gripe em todo o Estado, até esgotarem as doses disponíveis. A imunização está aberta para população em geral acima de seis meses de idade.

“Precisamos imunizar os paranaenses contra a influenza para auxiliar no diagnóstico diferencial da Covid-19 e proteger contra as Síndromes Respiratórias Agudas Graves”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Este ano, a campanha nacional de vacinação contra a Gripe foi realizada em três etapas, com divisão de grupos prioritários. A vacinação começou no dia 12 de abril e, devido a baixa adesão da campanha, o Estado e municípios seguirão vacinando até esgotarem as doses.

A gripe é uma infecção viral respiratória febril aguda, contagiosa e que pode afetar pessoas de todas as idades. O número de casos de influenza tende a aumentar no inverno, pois com as temperaturas mais baixas, as pessoas tendem a permanecer por mais tempo em ambientes fechados favorecendo a transmissão viral. A infecção pode acarretar hospitalização e morte, principalmente entre os grupos de maior risco como os muito jovens, idosos ou doentes crônicos e, além de manter os locais arejados, a higienização das mãos e dos ambientes, a vacina é a melhor prevenção para evitá-la.