Logotipo

30 de agosto de 2019

Os números populacionais e o desenvolvimento dos municípios

Na quarta-feira, 28, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a estimativa populacional de todos os municípios brasileiros, com índices até julho de 2019.

O órgão aponta, a partir de suas análises e trabalhos de coleta de dados entre a população, que, em se tratando da região do litoral do Paraná, houve aumento populacional na localidade, ressaltando que, entre os sete municípios, apenas Guaraqueçaba apresenta um decréscimo, ou seja, uma redução no número de moradores. É importante se frisar que os dados são relativos a nove anos de 2010 até este ano, pois o último censo foi realizado em 2010. Também convém ressaltar que os atuais números não são correspondentes a um novo censo e sim a uma estimativa, a qual já serve de prognóstico para a próxima ação censitária, que deve ocorrer em 2020. 

Os números levantados são importantes para o litoral, pois a partir dessa análise, ou seja, de números oficiais sobre a população nas localidades torna-se possível se adequar os investimentos nos municípios. Isso equivale a afirmar que por meio da estimativa da população é possível se organizar o envio ou aporte de verbas em serviços imprescindíveis aos cidadãos.

Paranaguá apresentou um crescimento acentuado saltando de cerca de 144 mil residentes para algo em torno de 155 mil, um acréscimo de aproximadamente 10%. Isso evidencia a necessidade de se estruturar melhor a cidade para atender a esse crescimento, ou seja, é necessário rever planos e ações no tocante à saúde, moradia, segurança, educação, além, é claro, de opções de lazer e entretenimento, pois uma diferença de mais de 10 mil pessoas requer infraestrutura adequada para que a população possa ter qualidade de vida.

A Cidade-Mãe da civilização paranaense não para de crescer e precisa que o desenvolvimento econômico e social acompanhe esse aumento, pois dessa forma todos os cidadãos serão beneficiados. Cresce o município, crescem, automaticamente, os investimentos, o que deve sempre atingir os moradores.

Compartilhe

Colunistas