Connect with us

Editorial

Mulher, seja presente! Seu futuro não é de flores, mas de respeito

Foi-se o “era uma vez”. Chegou a VEZ de ouvir a história que é escrita e protagonizada por cada mulher.

Publicado

em

Era uma vez….
A maioria das histórias é iniciada por esta expressão classificada como complemento circunstancial de tempo. Mas este não pode ser o clichê de narração do enredo da vida de uma personagem que é protagonista do seu tempo, e que não deve remeter ao passado, e sim ao presente e futuro.

Pois agora, o “era uma vez” descreve tudo aquilo que ficou para trás e não se pode repetir como lição humanitária.

É inadmissível aceitar que por muito tempo em toda essa história, como já descrevia a escritora Virginia Woolf, “anônimo era uma mulher”. Foi com esta frase que ela, à frente do seu tempo, denunciou duas deficiências na história da humanidade: a de não reconhecer e não dar espaço à voz das mulheres.

Por não serem aceitas em muitas atividades e intituladas como inferiores aos homens, as mulheres, por séculos, passaram despercebidas pelas páginas e retratos reconhecidos da história. Elas foram figurantes e meras ilustrações de um espaço social dominado culturalmente pelo gênero masculino.

E é aqui que entra o movimento feminista, o qual teve início durante o século XIX. Neste período, as mulheres tomaram consciência das desigualdades a que eram submetidas e passaram a questionar os modelos sociais e lutar por igualdade aos direitos adquiridos pelos homens.

Foi a primeira “onda do feminismo”, o qual hoje ainda é julgado e repudiado tanto por homens como mulheres, que deu o pontapé para o movimento que garantiu o direito de participação feminina nas eleições.

Engana-se quem pensa que o “tal feminismo”, condenado em pleno século XXI, é o contrário de machismo. O feminismo é igualdade. É uma busca, uma luta e uma realidade constante de que as mulheres são seres humanos e não devem ser rotuladas sob um princípio de dominação ou inferioridade.

Assim como os homens, é possível trabalhar, estudar, cuidar da casa, ser independente, ter poder de decisões, poder de fala, de escolha, poder de se posicionar. Ter o poder de vestir saia, calça, shorts. Poder de ser quem ela quiser: policial, jogadora de futebol, delegada, advogada, feminista, poder encorajar outras mulheres, poder simplesmente ser mulher.

Falar da mulher neste dia não é colocá-la acima de ninguém. É dar voz à igualdade e ao empoderamento, princípio tão odiado nas falas culturais do patriarcado brasileiro.

Falar sobre a mulher não é exaltar os chocolates e as flores recebidas, mas o respeito que ela necessita a cada dia. Pois quando o princípio básico da igualdade é reprimido, tem-se cada vez mais gerações vivendo e expandindo uma violência desmedida, mas contabilizada com crueldade nos índices de feminicídios.

Não há mais espaço para se chocar com o feminismo (igualdade) num mundo em que as mulheres fazem toda a diferença ao lado dos homens. A escritora contemporânea Chimamanda Ngozi traduz ao pé da letra esse momento. “Por que a palavra feminista? Por que não dizer que você acredita em direitos humanos? Porque isso seria desonesto. Utilizar o feminismo como ‘direitos humanos’ seria negar o problema específico do gênero. Seria um jeito de fingir que não foram as mulheres que foram, por séculos, excluídas. Seria um jeito de negar que o problema de gênero tem como alvo as mulheres. E que o problema não é sobre ser humano, mas especificamente sobre ser uma mulher”.

Então, como se livrar dessas amarras históricas e desumanas? Lutando como uma garota! Portanto, mulher, seja presente! Seja dona de si, do seu corpo, do seu caráter, da sua alma e da sua opinião.

Enquanto outra mulher for prisioneira de qualquer mazela não há como todas serem livres, mesmo que as correntes de cada uma sejam diferentes, menos ou mais pesadas.
Foi-se o “era uma vez”. Chegou a VEZ de ouvir a história que é escrita e protagonizada por cada mulher.
 

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.