Logotipo

07 de novembro de 2019

Aumento de golpes e fraudes na temporada de verão

Com a evolução tecnológica no meio social, os desdobramentos na rotina do ser humano passaram a exigir um imediatismo entre a ação e reação. Com isso, tudo ficou mais rápido. A disseminação de informações nas redes sociais, a utilização da Internet para a efetivação de um serviço comercial, médico, para uma consulta de dados, para um pagamento através do celular, por exemplo, demandam do ser humano velocidade no tempo e cada vez menos calma.

Assim, vieram os resultados positivos, mas, sobretudo, a enxurrada de efeitos negativos no comportamento social. Isso porque essa “pressa” cada vez mais exigida, exclui automaticamente o rigor da percepção para que os indivíduos saibam diferenciar, por exemplo, a verdade da mentira, os boatos das informações verdadeiras e as entidades oficiais das fraudes. Desta forma, surgem as “fake news” e a “onda” dos golpes e fraudes. E para não cair nas ciladas, toda sensatez faz a diferença para não ser prejudicado.

Nesta semana, por exemplo, um novo golpe no litoral paranaense fazia com que criminosos se passassem por policiais pedindo a comerciantes apoio publicitário na divulgação de jornal informativo sobre a temporada de verão. É importante ressaltar que, com a temporada, aumentam as tentativas de golpes e os casos de estelionato nas praias. Portanto, é preciso identificar sempre alguma informação que leve a desconfiar que a ajuda, geralmente relacionada a auxílio financeiro, é um ato criminoso. É preciso estar atento para não ser lesado por estas ações tão comuns e que a cada minuto fazem novas vítimas.

Compartilhe

Colunistas