Logotipo

10 de maio de 2019

A busca pelos livros na era digital

Embora a tecnologia esteja avançado mundialmente entre a população e em diferentes áreas, inclusive em meio à educação, sendo usada em salas de aula, ainda persiste a ideia de antagonismo entre os livros e as tecnologias digitais e inovações tecnológicas.

Na atualidade, muito se discute o avanço dos equipamentos digitais e se em algum momento eles substituirão os tradicionais livros. Há pessoas que já consideram o livro algo obsoleto, no entanto outra parcela considerável acredita que nada substitui o prazer de manusear as páginas de um bom livro.

Discussões persistem, no entanto tudo consiste em um debate vão, pois há espaço para o convívio de ambos, um não veio para substituir o outro e sim para servir como uma nova maneira de fomentar a leitura entre a população. O importante é se propagar o conhecimento e se a tecnologia está ampliando as formas de leitura, então se tem uma ferramenta eficaz para atrair e formar novos leitores.

Assim, é possível afirmar que há espaço para todos e a população não está assistindo à morte lenta dos tão fascinantes e importantes livros. Prova disso é, como se vê em matéria nesta edição da Folha do Litoral News, o número de pessoas que diariamente utilizam as obras que compõem o acervo da Biblioteca Mário Lobo para suas pesquisas e leituras diárias.

Os livros fazem parte da construção do pensamento, da aprendizagem, pois se constituem em verdadeiros portais para o conhecimento. Neles estão contidos histórias, mundos a serem desvendados, novas possibilidades de ver o mundo e procurar outro viés para qualquer questionamento. Os livros permitem que cada um entre no "Reino das Palavras" e possa navegar em busca do autoconhecimento, sem se preocupar, como diria Carlos Drummond de Andrade, com a inevitável pergunta: Trouxeste a chave?

Compartilhe

Colunistas