Connect with us

Economia

Coronavírus: Em falta no mercado, álcool em gel não pode ter aumento abusivo de preço

“De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, é prática abusiva exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva e/ou elevar sem justa causa o preço de produtos”, informa o Procon-PR

Publicado

em

Consumidor deve denunciar irregularidade ao Procon-PR

Uma das principais formas de prevenção ao Coronavírus é a higienização contínua das mãos, em que o álcool em gel torna-se um importante meio de limpeza fácil. Em Paranaguá, a procura está em alta principalmente nas farmácias, com falta do produto e necessidade contínua de reabastecimento. Segundo o Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-PR), a alta abusiva por parte dos fornecedores do preço do álcool em gel do tipo 70%, o mais recomendado para imunização, é algo proibido pelo Código de Defesa do Consumidor e que deve ser denunciado às autoridades.

De acordo com o Procon-PR, estão sendo recebidas várias denúncias no Paraná sobre fornecedores que estão cometendo abusos no preço do álcool em gel 70%. “De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, é prática abusiva exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva e/ou elevar sem justa causa o preço de produtos – artigo 39, V e X”, explica a assessoria.

“O Procon-PR está disponibilizando um canal on-line para denúncias de fornecedores que estão abusando no preço do álcool em gel. O consumidor deve entrar no site do Procon-PR e clicar no link ‘Abusos no preço do álcool gel – 70%’. Importante que o consumidor passe os dados do fornecedor, nome, endereço completo e junte fotos ou oferta do produto pelo preço que encontrar e colocar seus dados pessoais”, explica a coordenadora do Procon-PR, Claudia Silvano, em vídeo divulgado em seu Facebook.

Além de forma on-line pelo link http://www.procon.pr.gov.br/modules/inscrit_quest/formulario.php?codigo=23 , as denúncias sobre preço abusivo do álcool em gel podem ser feitas também no Procon em Paranaguá pelo telefone (41) 3420-6006.

Segundo ela, toda a documentação anexada pelo consumidor na denúncia ajudará a apurar a irregularidade cometida pelo fornecedor. “A título de prevenção, lavar as mãos por 40 segundos, lavando bem o dorso, a palma, os dedos, as unhas e o pulso ajuda muito na prevenção. Se você está em um lugar sem álcool em gel, lave bem as suas mãos com frequência que isso ajuda muito na prevenção ao Coronavírus”, complementa Claudia.

Número máximo do produto por consumidor

Segundo a assessoria de uma rede de farmácias que atua em Paranaguá e no Paraná, com relação ao preço dos produtos, não houve alteração até o momento. “Para conseguir atender o maior número de pessoas e a fim de que todos possam fazer sua utilização cotidiana, a empresa recomenda um limite de compra por cliente: 5 unidades para o álcool pequeno e médio, e 3 unidades para o álcool grande”, explica.

De acordo com a empresa farmacêutica, não foi registrado impacto no abastecimento dos produtos vendidos em suas lojas. Entretanto, foi detectado que “há escassez de máscaras e álcool gel, porque a produção não está atendendo à demanda do consumidor. Ainda assim, continuaremos fazendo todo esforço possível para atender a população da melhor maneira”, finaliza.

Continuar lendo