Logotipo

Matinhos terá grupo reflexivo masculino sobre violência contra a mulher

05 de fevereiro de 2020

Projeto acontece em parceria com o MPPR e busca a recuperação de autores de violência doméstica

Compartilhe

Em Matinhos, no litoral do Estado, uma iniciativa da prefeitura, com o apoio do Ministério Público do Paraná (MPPR), pretende reunir homens para tratar do tema da violência doméstica contra a mulher. A partir do formato de grupo reflexivo, o projeto reunirá, prioritariamente, homens envolvidos em processos de medida protetiva de urgência, mas é também aberto à participação da comunidade. O primeiro encontro será na quarta-feira, 5, às 18 horas, no auditório da Escola Municipal Wallace Thadeu de Mello e Silva (Ceciliano Tavares, 444).

O objetivo é proporcionar um espaço, de caráter preventivo e socioeducativo, para a escuta e o aprendizado dos autores de violência doméstica. No projeto de implantação da iniciativa, a Prefeitura destaca que o propósito é não restringir o tratamento dos casos de violência doméstica à punição, mas sim promover, junto ao agressor, uma reflexão sobre a responsabilização e o reconhecimento de seus atos, buscando o fim do ciclo de violência.

Para tanto, serão discutidas nos encontros questões como o papel masculino e feminino na sociedade, a Lei Maria da Penha, alternativas para um comportamento assertivo nas relações afetivas, saúde do homem e da mulher e prevenção à judicialização dos casos. Ao todo, serão realizadas quatro reuniões, sempre às quartas-feiras, sendo as próximas nos dias 12, 19 e 26 de fevereiro. Das discussões, participarão integrantes dos órgãos que compõem a rede de proteção, como o Ministério Público do Paraná e as secretarias de Educação e Saúde.

Justiça restaurativa 

Promover ou apoiar iniciativas voltadas à recuperação de homens agressores por meio de práticas de justiça restaurativa é uma das linhas de atuação dos órgãos integrantes do sistema de Justiça, entre eles o Ministério Público. Levantamento do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção aos Direitos Humanos do MPPR, por exemplo, aponta a existência de ao menos 25 iniciativas no Estado.

Interessados em conhecer mais sobre a iniciativa e participar dos encontros podem entrar em contato pelo telefone: (41) 3971-6270.

Fonte: MPPR


Colunistas