Logotipo

Casa da Cultura

09 de agosto de 2019

Compartilhe

Na Casa da Cultura de Paranaguá permanece a exposição dos trabalhos dos alunos das oficinas de desenho, pintura e cerâmica. Uma excelente oportunidade para observarmos o desabrochar de novos talentos.

Imperdível!

Onde surgiu a Arte

A resposta à questão onde surgiu a arte está intimamente relacionada com a própria origem da humanidade. Durante muito tempo, pensou-se que seriam as pinturas nas grutas de Lascaux na França – que datam de há cerca de 35.000 anos atrás e foram descobertas por acidente no século XIX – as mais antigas do mundo. Recentes avanços científicos mostram que a humanidade, bem como a arte, surgiram há muito mais tempo e noutras paragens.

Há centenas de milhares de anos no continente Africano, os nossos ancestrais mais remotos começaram a registar nas rochas e pedras, por meio de pinturas (pictogramas) e gravuras (petróglifos), a sua história, o seu dia-a-dia, o mundo que os rodeava e a sua espiritualidade. Desde o século XIX, a pintura rupestre tem sido essencial na reconstrução do cenário das origens da humanidade. Durante muito tempo, pensou-se que seriam as pinturas nas grutas de Lascaux na França.

Tenta-se desde então perceber onde surgiu a arte e quais as suas primeiras manifestações. Tal como se pensou um dia que a evolução humana tivesse origens multirregionais, ou seja, que as migrações para fora do continente Africano tivessem ocorrido muito anteriormente ao desenvolvimento do Homo Sapiens pelo que em cada continente a humanidade tivesse evoluído em isolamento dos outros. Mas nas últimas décadas, avanços científicos nas áreas da paleoantropologia, da genética e da arqueologia não só colocam na África a origem da humanidade, como a origem da própria arte, revelando ainda que tanto a humanidade como a arte podem ter uma longevidade maior do que se pensava anteriormente.

Resumidamente, até muito recentemente, as investigações científicas colocavam o aparecimento do humano moderno no Vale da Grande Fenda na África Oriental, atuais Quénia e Tanzânia, há cerca de 200.000 anos atrás. Antes de prosseguir, é necessário frisar a cautela necessária a ter com estas datas. São estimativas médias que variam em dezenas de milhares de anos para mais e para menos, pelo que encontramos autores que colocam este acontecimento em 150.000 anos atrás por exemplo. Porém, estas datas estão em constante revisão, e a descoberta em 2017 de vestígios de Homo Sapiens numa gruta da costa atlântica marroquina, que os paleo-antropólogos dataram de há 300.000 anos atrás, veio agora pôr em cheque o consenso científico estabelecido. Apesar disso, todos concordam que investigações mais profundas precisam ser feitas antes de atualizarmos os compêndios de história.

 

Manuela Tenreiro/Citaliarestauro

Fotos