Logotipo

Escola Nascimento Júnior promove gincana com temática da Copa do Mundo

04 de julho de 2018

A pedagoga orientadora da Escola Nascimento Júnior, Flávia Lima; a professora Maria Aparecida Raimundo e a diretora Silvia Mendes entraram no clima da Copa do Mundo

Compartilhe

Patriotismo e cultura de outros países são alguns dos temas trabalhados pelos professores em salas de aula

A Copa do Mundo passou a ser assunto em todos os lugares e nas escolas isso não é diferente. Com um pouco de criatividade, envolvimento e participação de alunos e da equipe de profissionais, é possível desenvolver um trabalho para reforçar o amor pela pátria e a importância de valorizar o País e respeitar outras nações.

A pedagoga orientadora da Escola Nascimento Júnior, Flávia Lima, trabalha com alunos em idade pré-escolar até 5.º ano. De acordo com ela, a ideia de trabalhar com o tema da Copa do Mundo começou com um projeto da Secretaria Municipal de Educação evidenciado há alguns anos contra o trabalho infantil. “No dia 12 de junho, fizemos o encerramento desse projeto com as outras escolas da cidade. Cada uma delas trabalhou da sua maneira, nós focamos nas opções de trabalho com o 4.º e 5.º ano, que escolheram profissões para trabalhar, trouxemos profissionais que explicaram tudo para eles. Aproveitamos todo esse clima festivo da Copa do Mundo para decorar a escola e fazer atividades com o tema O Brasil que eu quero... sem exploração do trabalho infantil”, explicou Flávia.

No clima da Copa do Mundo, a escola também criou uma competição entre as turmas, a chamada Olimpíadas da Sala Nota 10. “Nós temos uma tabela em cada sala com pontuações, as crianças precisam arrecadar elementos para ajudar na festa junina que vamos fazer. Mas entre as pontuações estão limpeza da sala, disciplina no refeitório, a sala com menor número de alunos faltosos, sala com maior número de alunos uniformizados. É uma competição mesmo entre eles e vemos que tem tido resultados”, afirmou Flávia.

Professores fizeram suas tentativas de gol para ganhar pontos para a turma

A questão do patriotismo é tratada durante todo o ano pela escola, mas nesta época de Copa do Mundo, o assunto torna-se ainda mais relevante, em especial no momento em que o País vive. “Já temos nosso planejamento interno das atividades, colocamos sempre o hino nacional, as professoras de ciência, história e geografia inserem o assunto e contagiaram meninos e meninas. Na gincana, colocamos questões mais antigas sobre a Copa para que possam perguntar aos pais entre outras coisas”, contou a pedagoga.

HINO NACIONAL

Nos últimos jogos do Brasil no mundial, os torcedores cantaram o hino nacional de forma mais entusiasmada, o que chamou a atenção das crianças e despertou ainda mais o interesse. “Eles perguntam qual a importância do hino, pois agora estão vendo pela TV que os torcedores cantam mais antes dos jogos. Uma das provas da gincana é com relação a isso, a sala que tiver mais alunos cantando o hino nacional de forma correta vai ganhar mais pontos”, disse Flávia.

Segundo a pedagoga, o envolvimento das crianças faz com que tenham mais gosto de torcer pelo seu País. “Eles começam a ver que não tem somente coisas ruins acontecendo e isso para a cabeça deles, que ainda é muito imatura, é difícil entender a realidade. Eles têm a oportunidade agora também de conhecer a história dos jogadores, o porquê das cores da bandeira, tudo aquilo que trabalhávamos durante o mês de setembro vimos que podemos trabalhar durante todo o ano. Aproveitamos este tema e contagiamos até mesmo os professores que não estavam tão entusiasmados com a Copa”, relatou Flávia.

A cultura de outras nações e o consequente respeito com as diferenças são outros pontos importantes para discutir nessa época. “O nosso material de inglês fala dessa questão das diferenças e estamos aproveitando. Quando um time perde, a gente discute se é porque era mais fraco, se é realmente uma derrota, qual a história do País e sobre as vitórias”, acrescentou a pedagoga.

 


Colunistas