Connect with us

Crônicas

Oito de março

Publicado

em

Oito de março

Oito de março, Dia Internacional da Mulher. 

O que almejamos não só no dia em que celebramos a honrosa data no calendário mas também em todos os outros dias do ano?

Primeiro de tudo: queremos viver, no sentido literal da palavra. Viver como sinônimo de existir, estar viva.

Ansiamos por continuar vivas mesmo depois de dizermos “não” para aquela relação que não mais se sustenta e na qual somos mais infelizes do que felizes. Temos sim o direito de fazermos as malas e ir em busca da felicidade e da paz sem sermos perseguidas, ameaçadas, importunadas e, no pior dos casos, mortas. 

Queremos viver sem o medo absurdo de sofrermos qualquer tipo de violência física ou psicológica. 

De podermos pegar um ônibus lotado sem que esse fato seja usado como pretexto para que homens se aproveitem da situação e cometam assédio.  

Por sinal, há ônibus de viagens que já adotaram assentos exclusivos para mulheres. Tudo isso para que não tenhamos a surpresa de sentarmos ao lado de alguém que não sabe respeitar uma mulher. A atitude das empresas de transporte coletivo é válida e muito louvável, pois nos protege e resguarda. Porém, há de se questionar ter que adotar uma medida dessas em pleno século XXI. Trata-se de um avanço ou retrocesso quando temos que separar seres humanos?

Vivendo em sociedade e interagindo nas relações interpessoais, é natural que, muitas vezes, esbocemos um sorriso e sejamos simpáticas. O que intriga é por que tal ato ainda provoque más interpretações? Desde quando sorrir, ser educada ou simpática valida a intenção de que estejamos “querendo algo a mais” ou dando abertura para isso?

E, por último, convido você a imaginar a situação: “Às 22h, um homem casado está sozinho tomando um chope em um barzinho. Nessa mesma hora, uma mulher casada está sozinha tomando um chope em um barzinho”. Adivinha qual dos dois receberá censura perante a sociedade?

Avançamos, mas ainda há muito a ser conquistado. Principalmente, no que se refere a mudar conceitos tão enraizados da cultura machista. Estamos no caminho? Talvez, dando um passo de cada vez, que deve ser firme, frequente e diário.  A persistência é o que nos move e abre caminhos.

Por: Kátia Muniz

Leia também: Prazer, Fran Lebowitz!

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.