Logotipo

Novo diretor assume a 1.ª Regional de Saúde e revela prioridades da gestão

12 de março de 2019

Posse do funcionário de carreira, José Carlos de Abreu, ocorreu na presença do secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto

Compartilhe

Na segunda-feira, 11, tomou posse, em Paranaguá, o novo diretor da 1.ª Regional de Saúde, o farmacêutico e funcionário de carreira da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), José Carlos de Abreu. A cerimônia foi prestigiada por autoridades locais, regionais e estaduais ligadas à área. Abreu é funcionário há 39 anos, especialista em Saúde Pública e em Gestão de Sistemas de Saúde. Além de farmacêutico, é formado em Epidemiologia pela Universidade de Tóquio, no Japão, e é mestre em Política Pública.

Com ampla experiência na área de gestão de saúde, Abreu já foi secretário municipal de Saúde em Almirante Tamandaré, diretor por duas vezes da 2.ª Regional de Saúde, que abrange a capital do Estado, diretor da Funeas (Fundação Estatal de Atenção em Saúde do Paraná), conselheiro municipal e estadual de Saúde e conselheiro estadual de Direitos Humanos.

“Temos a missão de implementar aqui um centro de especialidades médicas e conseguir atender as demandas dos municípios”, destacou o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto

Segundo Abreu, a região apresenta dificuldades, mas também oportunidades para oferecer saúde pública de qualidade aos moradores no litoral. “Para mim é uma enorme satisfação de ter sido a escolha do secretário Beto Preto e também do governador. Sabemos da importância do litoral do Paraná e dos diversos problemas que essa população enfrenta em relação à saúde. O Hospital Regional do Litoral (HRL) é o 4.º maior hospital público do Paraná, que cumpre um papel importante. Uma das missões que o secretário nos deu, foi no sentido de rever o modelo assistencial, fazer algumas alterações necessárias para um melhor atendimento”, disse Abreu.

De acordo com Abreu, a oferta de serviços hospitalares ainda é insuficiente no litoral. “A prova disso é que metade da população de Paranaguá é atendida em Curitiba e em hospitais da região metropolitana. É um momento novo para mim, vou ter a oportunidade de, junto com os prefeitos e lideranças das cidades, aprofundar esse diagnóstico e estabelecer caminhos para que a gente possa trazer bons resultados a toda a comunidade do litoral”, ressaltou o novo diretor da 1.ª Regional de Saúde.

Quanto ao enfrentamento da febre amarela, o novo diretor salientou que este será o primeiro esforço no litoral, em parceria com os municípios, para assegurar boas coberturas vacinais. “Esse é o melhor caminho para enfrentar essa doença. Pela condição estratégia que tem Paranaguá dentro do País e do Estado, devido ao porto, temos que estar sempre em alerta para a ocorrência dessa doença. Vamos dar sequência a essa imunização a toda a população que se encontra em áreas de risco na região”, considerou Abreu.

José Carlos de Abreu é funcionário de carreira da Sesa há 39 anos e tem ampla experiência na área

A dengue e a febre amarela envolvem uma necessidade permanente de ação do Estado, mas também de toda a população. “Tivemos aquele episódio horrível da dengue há dois anos. No ponto de vista proporcional, Paranaguá deve ser o município onde mais ocorreram óbitos, devido ao número de pessoas infectadas, no Paraná e talvez tenha tido destaque no País. Temos que evitar que isso aconteça, com cuidados na questão ambiental e a participação do Estado, dos municípios e da população, este é o caminho para que a gente possa enfrentar essa patologia”, acrescentou Abreu.

EXPECTATIVA DA SESA

O secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, reforçou a preocupação com um serviço hospitalar de qualidade. “Temos a missão de implementar aqui um centro de especialidades médicas e conseguir atender as demandas dos municípios. Vamos trabalhar para fortalecer o Sistema Único de Saúde. Por isso, neste momento, optamos pelo Abreu para a nossa 1.ª Regional de Saúde e tenho a certeza de que, ao longo do tempo,  esse trabalho vai se demonstrar muito efetivo”, acredita Beto Preto.

“A lógica do governador Ratinho Junior é rever investimentos agora que estamos tratando do programa de regionalização e o litoral não ficará fora disso. É uma região importante do Paraná e temos o compromisso de resolver essas pendências de tanto tempo”, completou o secretário.

Quanto à febre amarela, o secretário de Saúde reiterou que há uma ação, em conjunto com os municípios, para reforçar a cobertura vacinal em locais próximos de mata. “Existem pessoas que moram nessas regiões mais isoladas, elas têm um risco maior. Estamos fazendo a vacinação ponto a ponto, queremos ampliar isso”, afirmou Beto Preto.

O diretor geral da Sesa, Nestor Werner Junior, afirmou que há uma expectativa grande nesta gestão, principalmente devido às demandas dos sete municípios do litoral que estão sob a competência da 1.ª Regional.

“Os desafios na região são muito grandes, temos diversas situações de saúde pública como a falta de consultas, problemas com a dengue e febre amarela, que estão presentes no litoral, e também temos o Hospital Regional do Litoral (HRL) que tem situações que precisam ser melhoradas. A expectativa é que o Abreu consiga colocar as nossas ideias e o posicionamento do governo nesse momento inicial, além de discutir com os servidores a composição da equipe”, declarou Werner.

Autoridades de saúde regionais prestigiaram a cerimônia de posse

APOIO DO MUNICÍPIO

O vice-prefeito de Paranaguá, Arnaldo Maranhão, esteve presente à cerimônia para dar boas-vindas ao novo diretor. “Entendemos que todo investimento na administração pública é essencial, mas a saúde é o mais especial, todas as áreas são importantes, mas a saúde lida com vidas humanas. Esperamos que com essa posse, viabilizada pelo governador Ratinho Júnior, que tem demonstrado um grande compromisso com o Paraná, possa refletir em bons resultados para Paranaguá e para as outras seis cidades do litoral, para que juntos possamos dar um atendimento de qualidade à população”, frisou Maranhão.