Connect with us

Ciência e Saúde

Litoral tem 347 notificações de casos de dengue

28 registros de possível dengue estão sendo investigados pelo Estado em Paranaguá neste início de ano, dois em Guaratuba e outros dois em Pontal do Paraná (Foto: AEN/Arquivo)

Publicado

em

Incidência da dengue na região segue estável, mas Paraná registra aumento de 2 mil casos

Na terça-feira, 7, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) divulgou o primeiro boletim de 2020 sobre a dengue, que apontou um aumento de 2.050 casos da doença no Paraná desde o último informe divulgado em 17 de dezembro de 2019, contabilizando um total de 5.343 casos confirmados de dengue em todo o Paraná. Apesar disso, os casos em Paranaguá e no litoral seguem estáveis: dois contabilizados pela Sesa de 28 de julho de 2019 até o dia 4 de janeiro de 2020. Entretanto, a chegada do verão e de temperaturas mais altas no litoral, facilitando a proliferação do Aedes Aegypti, coloca os sete municípios litorâneos em alerta climático de risco alto de dengue. 

Segundo o Informe Técnico 20 da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica da Sesa, foram confirmados apenas dois casos de dengue em Paranaguá e no litoral, de um total de 347 notificações da doença. Dos casos, um deles foi em Paranaguá e outro em Matinhos. Antonina, Guaratuba, Morretes, Pontal do Paraná e Guaraqueçaba não tiveram casos confirmados da doença. Entretanto, 28 registros de possível dengue estão sendo investigados pelo Estado em Paranaguá neste início de ano, dois em Guaratuba e outros dois em Pontal do Paraná.

A SESA chama a atenção para o Serviço de Alerta Climático de Dengue do Laboratório de Climatologia da UFPR disponível no endereço http://www.terra.ufpr.br/portal/laboclima/sacdengue/ referente à semana 01/2020 para que os municípios identifiquem sua situação de risco para a condição favorável à proliferação do mosquito da dengue e intensifiquem as medidas de controle necessárias", informa a Sesa no boletim. De acordo com esses dados, obtidos pelo Laboratório de Climatologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR/LABOCLIMA), o litoral está em alerta de risco alto de proliferação do Aedes Aegypti, principalmente nos municípios de Paranaguá, Pontal do Paraná, Guaratuba e Matinhos, o que demonstra a necessidade de reforço na prevenção por parte do Poder Público, moradores e turistas.

PARANÁ

Segundo a Secretaria de Saúde, há confirmações da doença em 160 município do Paraná e 274 cidades têm notificações de dengue que incluem os casos suspeitos e em investigação, registrando 23.141 notificações em todo o Estado. “Estamos em alerta total no Estado, apoiando as ações de combate realizadas pelos municípios e orientando a população por meio de campanha de prevenção, destacando que Dengue Mata e que é preciso uma mudança de atitude no que diz respeito aos cuidados nos nossos domicílios, eliminando os criadouros do mosquito que transmite a dengue”, afirma o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

Segundo o secretário, cerca de 80% dos criadouros estão nas casas, nos quintais e ambientes internos. “Por isso é necessário se realizar uma verificação semanal. É um dever de todos como cidadãos”, completa Beto Preto. “A estratégia é intensificar os mutirões de limpeza e a verificação de possíveis criadouros do mosquito com a participação da comunidade e órgãos públicos”, salienta o gestor. Na última semana, Beto Preto esteve inclusive em Matinhos participando de atividades de combate ao mosquito, o que demonstra a preocupação da Sesa com a doença também no litoral, apesar do registro baixo de casos.

Na quinta-feira, 9, o  Comitê Intersetorial de Controle da Dengue no Estado do Paraná, instituído em 18 de dezembro pelo governador Carlos Massa Ratinho Júnior, fará a sua primeira reunião. "O grupo, coordenado pela Secretaria da Saúde, é formado por representantes de órgãos e secretariais estaduais e tem o objetivo de implementar ações de mobilização para a intensificação do combate à dengue", informa o Estado.

DICAS DE PREVENÇÃO:

NÃO DEIXE ÁGUA PARADA

Destruir os locais onde o mosquito nasce e se desenvolve. Evite sua procriação.

LIXEIRAS DENTRO E FORA DE CASA

Mantenha as lixeiras tampadas e protegidas da chuva. Feche bem o saco plástico.

VASILHAS PARA ANIMAIS

Os potes com água para animais devem ser muito bem lavados com água e sabão no mínimo duas vezes por semana.

SUPORTE DE GARRAFÃO DE ÁGUA MINERAL

Lave-o sempre quando fizer a troca. Mantenha vedado quando não estiver em uso.

PRATINHOS DE VASOS DE PLANTAS

Mantenha-os limpos e coloque areia até a borda.

COLETOR DE ÁGUA DA GELADEIRA E AR-CONDICIONADO

Atrás da geladeira existe um coletor de água. Lave-o uma vez por semana, assim como as bandejas do ar-condicionado.

PLANTAS QUE ACUMULAM ÁGUA

Evite ter bromélias e outras plantas que acumulam água, ou retire semanalmente a água das folhas.

VASOS SANITÁRIOS

Deixe a tampa sempre fechada ou vede com plástico. Em banheiros com pouco uso, dê descarga pelo menos uma vez por semana.

BALDES E VASOS DE PLANTAS VAZIOS

Guarde-os em local coberto, com a boca para baixo.

RALOS

Tampe os ralos com telas ou mantenha-os vedados, principalmente os que estão fora de uso.

GARRAFAS

As garrafas devem ser embaladas e descartadas na lixeira. Se guardadas, devem estar em local coberto ou de boca para baixo.

LAJES

Não deixe água acumular nas lajes. Mantenha-as sempre secas.

PISCINAS

Mantenha a piscina sempre limpa, mesmo sem uso. Use cloro para tratar a água e filtre periodicamente.

CALHAS

Limpe e nivele. Mantenha-as sempre sem folhas e materiais que possam impedir a passagem da água.

OBJETOS D’ÁGUA DECORATIVOS

Mantenha-os sempre limpos com água tratada com cloro ou encha-os com areia. Crie peixes, pois eles se alimentam das larvas do mosquito.

CAIXAS D'ÁGUA, CISTERNAS E POÇOS

Mantenha-os fechados e vedados. Tampe com tela aqueles que não têm tampa própria.

CACOS DE VIDROS NOS MUROS

Vede com cimento ou quebre todos os cacos que possam acumular água.

TONÉIS E DEPÓSITOS DE ÁGUA

Mantenha-os vedados. Os que não têm tampa devem ser escovados uma vez por semana e cobertos com tela.

FALHAS NOS REBOCOS

Conserte e nivele toda imperfeição em pisos e locais que possam acumular água.

LIXO, ENTULHO E PNEUS VELHOS

Entulho e lixo devem ser descartados corretamente. Guarde os pneus em local coberto ou faça furos para não acumular água.

OBJETOS QUE ACUMULAM ÁGUA

Coloque num saco plástico, feche bem e jogue no lixo: tampinha de garrafa, casca de ovos, copos descartáveis e outros.

FACILITE O CONTROLE DA DOENÇA

Permita sempre o acesso do agente de controle de zoonoses em sua residência ou estabelecimento comercial.

 

Com informações da SESA/AEN

 

 

Continuar lendo