Connect with us

Ciência e Saúde

Fones de ouvido podem causar perda auditiva caso utilizados indevidamente

“É esperado que a gente tenha uma epidemia de perda auditiva por uso de fone de ouvido em excesso”, afirma o médico Eduardo Bogaz

Publicado

em

Médico aponta que 19% da população mundial apresenta algum tipo de lesão auditiva

Em tempos de dispositivos eletrônicos e aparelhos celulares torna-se comum ver pessoas nas ruas com fones de ouvido para ouvir músicas, notícias, programas de rádios, enfim, "se desligar" do mundo exterior. Apesar de ser uma boa forma de entretenimento individual, o uso dos fones, seja com ou sem fio, deve ser feito de forma responsável, pois, caso seja utilizado indevidamente pode causar lesão ou grau de perda auditiva, algo que atinge 19% da população mundial, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

O médico otorrinolaringologista Eduardo Bogaz, formado pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (FAMERP), com especialização em Otorrinolaringologia pela ABORL/AMB e em Otologia pela Unifesp, ressalta que a perda auditiva pode ocorrer na infância ou fase adulta, decorrente de infecções e traumas, sendo que o fone de ouvido pode ocasionar lesões auditivas sérias. "A gente tem uma estimativa da OMS de uma faixa de pessoas com perda auditiva na população geral em torno de 19 a 20%, isso é um número que impressiona, porque engloba vários graus de perda auditiva. Tem pessoas nessa população desde perdas auditivas leves até mais severas que precisam de algum tipo de reabilitação, o que geralmente chama atenção da própria pessoa e da família", acrescenta.

"As causas de perda auditiva são diversas, isso depende muito de cada idade. Na infância, as causas mais comuns são infecções, infecções virais própria da infância como caxumba, sarampo, ou infecções durante a gestação como rubéola, sífilis, existem as causas genéticas também e de má-formação na infância. Nas pessoas adultas e jovens economicamente ativas, as causas são outras, também existem causas infecciosas, mas são mais prevalentes as causas traumáticas, traumas de som ou de som crônico, que é a famosa perda auditiva induzida por ruído", afirma o médico Eduardo Bogaz, destacando ainda a perda auditiva de idosos, que é causada pelo envelhecimento e que pode ou não ser acelerada por hábitos que a pessoa teve na vida, entre eles exposição excessiva a ruídos, hábitos como tabagismo ou consumo de bebida alcoólica em excesso, bem como descontrole de fatores metabólicos.

Fone de ouvido

Segundo o otorrinolaringologista, o uso de fone de ouvido pode ser muito perigoso para causar perda auditiva. "Inclusive esta questão do uso do fone de ouvido com redes sociais, com facilidade de conexão com o telefone, jogos de videogame, filmes e músicas disponíveis a todo momento, com isso o jovem está usando os fones muito mais com um tempo muito prolongado. Invariavelmente, o jovem gosta de volume muito alto. Já existem trabalhos provando que esta utilização pode causar lesão auditiva e isso não aparece agora, o jovem usa fone de ouvido com volume e nível de pressão sonora alto dia após dia, e isto não vai aparecer nos próximos dois anos, este problema surgirá daqui a 10, 15, 20 ou 30 anos", explica.

Médico otorrinolaringologista Eduardo Bogaz afirma também que uso de cotonetes pode causar perda auditiva e até mesmo paralisia facial (Foto: Divulgação)

"A gente estima que daqui a 20 anos teremos uma epidemia de pessoas com 40 anos com perda auditiva induzida por ruído social, como o causado por fone de ouvido. Nós lembramos que não é só o ruído laboral que leva à perda auditiva induzida por ruído como em fábricas, pois hoje em dia isso está mais ou menos estabilizado, as pessoas usam proteção individual, mas esse problema migrou das fábricas para as casas e ruas. O fone de ouvido é muito utilizado pelas pessoas e o volume de pressão sonora pode causar lesão auditiva, isso não é individual, existem duas pessoas, por exemplo, que usam a mesma carga de fone de ouvido e pressão sonora, uma pode ter perda auditiva e outra pode não ter, então é importante que se alerte os jovens, pois eles não vão sentir o problema agora, e sim daqui a 10 ou 15 anos", explica o médico.

Cotonetes

Outro problema que pode causar lesão auditiva é o uso de hastes flexíveis de limpeza interna das orelhas, os chamados "cotonetes". "Nosso canal auditivo é curto, de 2,5 a 3 centímetros, que separa o meio externo da membrana timpânica, que é muito fina, com menos de meio milímetro de espessura e muito sensível. Se você tiver um canal auditivo mais largo e introduzir o cotonete de forma agressiva você pode perfurar o tímpano, desarticular a cadeia circular, podendo inclusive chegar a atingir o nervo que faz a enervação motora da face que fica ali no meio do ouvido junto com estas outras estruturas. Uma perfuração no tímpano causada pelo cotonete, além da perda auditiva, pode causar tontura e, mais gravemente, se for uma coisa muito profunda e agressiva, a paralisia facial", explica.

"O cotonete deve ser usado para limpar o pavilhão auditivo externo, as dobrinhas, ele é feito para isso, não para ser introduzido lá dentro do canal auditivo", finaliza o médico.

Com informações da EBC e rádio Nacional AM Brasília

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.