Logotipo

Estoque de gás é contraindicado por Corpo de Bombeiros

08 de junho de 2018

Armazenamento irregular pode trazer riscos de incêndio nas residências

Compartilhe

Durante os 10 dias de paralisação dos caminhoneiros em todo o País, período que afetou a distribuição de gás e de combustíveis em Paranaguá e no litoral, grande parte da população enfrentou filas e, em muitos casos, realizou o estoque de botijões de gás e de gasolina, álcool ou diesel em suas próprias residências, algo que é contraindicado pelo Corpo de Bombeiros. De acordo com o primeiro tenente do 8.º Grupamento de Bombeiros do Paraná, Thyago Giamberardino, o armazenamento irregular de produtos inflamáveis gera risco contínuo de incêndio, devendo ser evitado pela população. 
Sobre o estoque de botijões de gás, realizado por algumas pessoas durante a paralisação, a indicação do Corpo dos Bombeiros “é que os cidadãos não façam isso, mas que estoquem apenas o que é consumido regularmente”, informa o primeiro tenente.

“Que se evite este tipo de armazenamento. No caso de comerciantes regulares, com instalações fixas, eles seguem uma norma própria, que é a NPT 028 do Corpo de Bombeiros, que está em nosso site. Para os comerciantes ambulantes, a indicação é que sejam usados até dois botijões P13 no seu transporte”, informa.
“Para as pessoas que guardam botijões, que procurem guardar no máximo dois em local arejado, de preferência do lado de fora da casa, em condições protegidas de intempéries. Que não tome sol, não tome chuva, sempre verifique as condições das mangueiras e do registro, que é muito importante para a segurança local”, afirma o primeiro tenente. “Que se evite a compra de gás com comerciantes irregulares, que procure sempre comerciantes dentro das normas, que fazem a coisa de forma segura”, complementa Giamberardino.
De acordo com o militar, em caso de qualquer problema é preciso entrar em contato com o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193. “Lembrando sempre que o GLP (gás de cozinha) é mais pesado do que o ar. Então quando ele escoa ele sempre vai para as partes mais baixas, sempre se concentrar a nível de solo. Se houver tubulações, ele vai se concentrar lá. Se por acaso houver vazamento imediatamente abram janelas, abram portas e avisem todas as pessoas para que não provoquem qualquer fonte de ignição, ou seja, o fósforo, cigarro, isqueiro, interruptor e até mesmo o celular”, alerta. 


Com relação à compra e estocagem de combustível, seja ele gasolina, diesel ou álcool, tal fato também coloca em risco contínuo de incêndio a residência ou local de armazenamento pelo cidadão. “É extremamente contraindicado. Se por acaso alguém cometeu este erro, que guarde isto em ambientes arejados, para evitar o possível acúmulo de gases combustíveis no ambiente”, completa o primeiro tenente Giamberardino.


“Materiais combustíveis líquidos são extremamente voláteis e acabam ocupando todo o local onde eles estão armazenados, em caso de vazamento. Se está por exemplo em um cavername de embarcação ou em quarto fechado, este vapor deverá se dissipar, algo que é extremamente inflamável, podendo inclusive gerar explosão neste ambiente”, finaliza o primeiro tenente, Thyago Giamberardino


Em caso de vazamento ou qualquer risco de incêndio, os cidadãos devem entrar imediatamente em contato com o telefone 193 do Corpo de Bombeiros. 
 

Colunistas