conecte-se conosco

Ciência e Saúde

Casos de sarampo no litoral se mantêm estáveis

A SESA reforçou à população que tomar a vacina contra a doença é a única forma de evitar a contaminação do vírus

Publicado

em

No Paraná, 42 novos casos da doença foram confirmados

Na quinta-feira, 31, a Secretaria de Estado da Saúde (SESA) divulgou boletim epidemiológico de casos de sarampo no Paraná. De acordo com o relatório, os casos de sarampo no litoral se mantiveram estáveis. Assim como no último boletim divulgado no dia 23 de outubro, a região litorânea teve o total de 10 casos de sarampo, nove deles em Paranaguá e um em Matinhos. Além disso, atualmente seis casos da doença são investigados na região.

De acordo com a SESA, o último relatório demonstrou que o Paraná soma 273 casos confirmados de sarampo, um registro de 42 novas confirmações da doença desde o boletim anterior. "A Secretaria de Estado da Saúde reforça à população que tomar a vacina contra o sarampo é a única forma de evitar a contaminação do vírus. A doença é altamente contagiosa", frisa.

"Os casos estão distribuídos nos seguintes municípios: 199 em Curitiba; 3 em Almirante Tamandaré; 1 em Araucária; 1 em Balsa Nova; 2 em Campina Grande do Sul; 2 em Campo do Tenente; 7 em Campo Largo; 18 em Colombo; 1 em Fazenda Rio Grande; 1 em Mandirituba; 6 em Pinhais; 4 em Piraquara; 2 em Rio Branco do Sul; 11 em São José dos Pinhais; 1 em Ponta Grossa; 1 em Irati; 2 em Maringá; 5 em Londrina; 1 em Rolândia; 3 em Carlópolis; 2 em Jacarezinho", explica a SESA.

“Precisamos que pessoas que não foram vacinadas sigam até a unidade de saúde e tomem as doses necessárias da vacina. É essencial que todos estejam vacinados para acabar com as cadeias de transmissão”, afirma o secretário da Saúde, Beto Preto.

Segundo a SESA, a faixa etária com maior ocorrência da doença é de adultos jovens com idade entre 20 e 29 anos – são 151 casos. "Entre zero e 6 meses há três casos; no público de 6 e 12 meses são três; de 1 a 4 anos um caso foi confirmado; na faixa entre 5 e 9 anos foram duas confirmações; de 10 a 19 anos há 69 ocorrências; de 30 a 39 são 31 casos; de 40 a 49 anos foram nove confirmações e entre 50 a 59 anos são quatro casos de sarampo confirmados", complementa a assessoria.

AÇÃO DAS EQUIPES NA SUSPEITA DO SARAMPO

Segundo o Estado, quando equipes de saúde detectam a suspeita de sarampo no paciente, o profissional deve notificar a secretaria municipal, que informa à SESA para controle da doença. "Esta informação é encaminhada ao Ministério da Saúde porque o sarampo é uma patologia que pode se tornar epidemia por ser altamente contagiosa. Além da notificação, a gestão pública da saúde acompanha e busca rastrear locais e contatos do paciente nos dias e semanas anteriores ao aparecimento dos primeiros sintomas. Dessa forma, é possível identificar as cadeias de transmissão do vírus do sarampo e fazer o bloqueio vacinal seletivo", explica a SESA.

VACINAÇÃO

Encerrada no dia 25 de outubro, a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo focou a vacinação de crianças de 6 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias. "A segunda etapa ocorre em novembro, entre os dias 18 e 30, beneficiando a faixa etária de 20 a 29 anos", explica a Secretaria Municipal de Saúde e Prevenção (Semsap).

 

Com informações da AEN e Prefeitura de Paranaguá

Continuar lendo
Publicidade

Em alta