Logotipo

Antonina intensifica campanha de prevenção e vacinação contra a febre amarela

31 de janeiro de 2019

Equipes percorrem a cidade para imunizar população

Compartilhe

Com um caso confirmado de febre amarela no litoral do Paraná, os municípios têm intensificado a vacinação nas unidades de saúde para imunizar a população. O paciente é um rapaz de 21 anos, morador em Antonina, que está internado no Hospital Regional do Litoral (HRL) em Paranaguá. O rapaz foi afetado com uma forma leve da febre amarela, está respondendo bem ao tratamento e apresenta um quadro estável.

Devido à presença do vírus no litoral, a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) do Paraná afirmou que foi criado o Coes (Centro de Operações em Emergências em Saúde) na 1.ª Regional de Saúde e, em Antonina, foram reforçadas as estratégias de enfrentamento da doença.

Antonina já havia vacinado 3.276 pessoas até o dia 29 de janeiro. O secretário Municipal de Saúde de Antonina, Odileno Garcia Toledo, contou que o município tem trabalhado prestando orientações à população. As ações começaram a se intensificar após a confirmação de febre amarela nos macacos encontrados mortos na região do Morro do Queimado. “Fizemos um mutirão e, a partir daí, não paramos mais de vacinar todos aqueles que estão na faixa etária preconizada, que são dos nove meses aos 59 anos”, disse Toledo.

O secretário confirmou que há doses suficientes para toda a população. “De acordo com o Governo do Estado, existem 300 mil doses para atender e, se precisar, haverá a compra de mais”, ressaltou Toledo. A expectativa é chegar a 10 mil pessoas imunizadas.

Governo do Estado afirma ter doses suficientes para atender a população

TRABALHO EM ÁREAS RURAIS

Também foram desenvolvidas ações específicas para evitar a expansão da doença. “Fizemos um trabalho intensivo nas áreas rurais e ao redor de onde o paciente que contraiu a doença estava, tentando fazer o bloqueio dessas áreas”, explicou o secretário de saúde de Antonina.

LOCAIS DE VACINAÇÃO EM ANTONINA

Todas as sete unidades de saúde em Antonina disponibilizam a vacina contra febre amarela. “Temos a unidade central, Ponta da Pita, Barigui (as três urbanas), e as outras quatro são rurais: Rio do Nunes, Cachoeira, Bairro Alto e Cedro, todas com atendimento das 8h às 17h. Por conta dessa situação, estamos atendendo também aos sábados até normalizar a vacinação”, orientou Toledo. Aos sábados, o horário será das 8h às 14h.

Uma equipe com quatro profissionais que aplicam vacinas e também com agentes comunitários de saúde está percorrendo a cidade para fazer a busca ativa para aplicação das doses. Empresas que possuem muitos funcionários podem solicitar a visita da equipe de saúde para vacinação.

SUSPEITA DA DOENÇA

Sempre que houver suspeita da doença, o morador deve ir até a unidade de saúde mais próxima de sua residência ou procurar diretamente o Hospital Municipal que já possui protocolo de atendimento para febre amarela.

Aqueles que residem em áreas rurais e encontrarem animais mortos devem comunicar à Secretaria Municipal de Saúde para que os animais sejam investigados. Vale ressaltar que os macacos são tão vítimas quanto os humanos que são infectados pelo vírus.

TURISMO RURAL

Neste período, trilhas e áreas de mata precisam ser evitadas, já que o vírus está circulante na região. A imunização tem início dez dias após a vacina. “Precisamos orientar as pessoas que fazem turismo rural, deixem a vacina em dia e venham visitar Antonina, porque há muitos lugares bonitos para conhecer, somente evitar os locais de mata fechada neste primeiro momento”, recomendou o secretário de Saúde de Antonina.


Colunistas