Logotipo

Lei que garante atendimento preferencial para autistas é realidade em Paranaguá

07 de março de 2019

União de Famílias pelo Autismo comemora conquistas e busca conscientizar a sociedade

Compartilhe

Em abril do ano passado, um grupo de mães de filhos autistas iniciou a entrada do processo de criação da União das Famílias pelo Autismo (UFA), em Paranaguá. O objetivo é preencher uma lacuna que existe na sociedade, de desconhecimento sobre o transtorno do espectro autista. Esta é a primeira associação criada no município com o olhar voltado para a conscientização em escolas, empresas, órgãos públicos e na orientação das famílias.

A diretoria é composta por seis integrantes, além dos associados que se dispuseram a ajudar com a iniciativa. “A Associação é o sonho de muita gente há muito tempo”, contou a vice-presidente da UFA, Sara Caroline Alves Dias. Ela explicou que após um ano de criação é possível ter alguns benefícios como tirar CNPJ e ter conta bancária. “Agora, poderemos buscar recursos também”, explicou Sara.

A intenção é promover a conscientização na sociedade e auxiliar famílias que acabaram de receber o diagnóstico de autismo.

“Essa fase de aceitação é muito complicada, pois é algo ainda muito desconhecido. Existe ainda muita coisa para ser estudada na área, o autismo é muito recente. Muitas pessoas já apareceram para nos ajudar, fizemos uma reunião com a secretária municipal de Educação, assim como com o pessoal da Apae, e com alguns vereadores que se dispuseram a ajudar”, contou Sara.

LEI EM PROL DOS AUTISTAS DE PARANAGUÁ


Vice-presidente da UFA, Sara Caroline Alves Dias, afirmou que a associação era um sonho de muitas mães

No ano passado, foi instituída em Paranaguá a lei n.º 3.760, que cria a Semana Municipal da Conscientização do Autismo, a ser lembrada no mês de abril. A lei, de autoria do vereador Francisco Nóbrega, em seu artigo 4.º, ainda estabelece o atendimento preferencial em filas de “rede bancária, órgãos públicos e comércio aos portadores da síndrome de espectro autista, devendo estes estabelecimentos estarem devidamente identificados desta preferência”. A lei institui ainda no Protocolo da Prefeitura, o selo azul para a preferência na tramitação de processos administrativos junto aos órgãos públicos municipais aos portadores desta síndrome.

Algumas redes de supermercado do município já possuem o símbolo para dar a preferência, assim como acontece com idosos, gestantes, mulheres com crianças de colo e deficientes físicos.

“A gente orienta os pais que não encontrarem nos estabelecimentos comerciais esse símbolo do autismo, que é um laço, a entrarem em contato com SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor), pois se todo mundo fizer, algo pode ser feito”, lembrou Sara.

Para a primeira semana de abril, a UFA quer realizar uma reunião com os pais e trazer profissionais, como psicólogos, para disponibilizar mais informação. No entanto, ainda não está decidido o local. Por isso, a UFA está aberta para quem quiser ajudar de alguma forma com essa semana ou com o trabalho realizado, de forma geral. “Estamos em busca de um espaço estratégico para que a gente consiga levar todos os pais de autistas de Paranaguá”, destacou Sara.

Os interessados podem entrar em contato pelo telefone (41) 98416-1451 ou (41) 99166-2402. A UFA também tem página no Facebook, onde as famílias podem entrar em contato e tirar dúvidas.

 

Colunistas