Logotipo

Instituto Peito Aberto focará na ampliação do Projeto Saúde em 2019

29 de janeiro de 2019

Atividades físicas e alimentação saudável serão incentivadas para a prevenção do câncer de mama

Compartilhe

O Instituto Peito Aberto retoma as atividades no dia 4 de fevereiro e com muitas novidades. Os projetos que foram sucesso em 2018, como a Fábrica de Perucas, vão continuar, assim como a ampliação do Projeto Saúde como uma preparação para a Corrida contra o Câncer, que acontece em outubro. A presidente do Instituto Peito Aberto, Fabiana Parro, contou essa e outras iniciativas que serão destaque no Instituto neste ano em prol da conscientização e da qualidade de vida de mulheres que enfrentam o câncer de mama.

“Vamos continuar com os projetos do ano passado e ampliar o foco no Projeto Saúde, com atividades físicas e mudanças de hábitos de vida. Neste ano, junto com a fisioterapeuta e a preparadora física, vamos fazer um programa que inicia no começo de ano até a corrida contra o câncer, que realizamos no Outubro Rosa. O objetivo é preparar as pacientes para o evento”, disse Fabiana.

Equipe de coordenadores e voluntários do projeto estão focados em novidades

Desta forma, as pacientes que estão em tratamento do câncer e aquelas que estão apenas em acompanhamento receberão suporte físico e nutricional. “Elas vão passar por avaliação com nutricionista, o Sesc vai oferecer musculação, além do acompanhamento com caminhada e corrida”, frisou Fabiana.

A ideia de intensificar as ações ocorreu após o retorno dos médicos, que destacaram os benefícios na qualidade de vida das pacientes com a prática de exercícios.

“Tem sido muito falado em congressos de saúde a relação da alimentação e da atividade física para pacientes que estão em tratamento de câncer. A Dra. Ana Carolina Marcondes Machado, mastologista, que nos acompanha, veio com muitas novidades com relação a isso. Já foi comprovado que a prática de atividades físicas colabora no tratamento. A musculação também é muito importante”, afirmou Fabiana.

PROJETOS EM ANDAMENTO

Paralelo ao Projeto Saúde, o Instituto dará andamento a outras iniciativas que têm dado muito certo como o Alinhavando Vidas, que conta com a Fábrica de Perucas, com confecção de perucas feitas com as mechas de cabelos doadas e também oficinas de costura. 

No ano passado, foram 30 perucas confeccionadas e entregues a pacientes que perderam os cabelos devido à quimioterapia. Em 2018, foram doadas 1.205 mechas de cabelo e elas continuarão sendo recebidas pela equipe do Instituto para a fabricação de mais unidades em 2019.

QUANDO PROCURAR PELO INSTITUTO

A presidente do Instituto Peito Aberto esclareceu que devem procurar o amparo de suas voluntárias as mulheres que sentirem qualquer dificuldade antes, durante ou após o tratamento.

“Recebemos pacientes quando elas têm o diagnóstico, ou no meio ou final do tratamento. Temos algumas que terminaram o tratamento há anos e hoje fazem parte da nossa equipe como voluntárias. Por isso, a qualquer momento a mulher pode nos procurar, até mesmo antes do diagnóstico, por terem dúvidas ou por não conseguirem fazer um agendamento, por exemplo, pode nos procurar que ajudamos a encontrar o caminho”, explicou Fabiana.

As interessadas podem procurar pelo atendimento do Instituto pelo telefone (41) 3423-0649 ou (41) 99923-9493, ou diretamente na sede (a partir do dia 4 de fevereiro), localizada na Rua Manoel Bonifácio, 622, 1.º andar, no prédio do SETTA-PAR. Na página do Instituto no Facebook também é possível entrar em contato e ainda acompanhar as atividades realizadas durante o ano.

NOVIDADES

O Instituto Peito Aberto receberá em sua sede, em breve, a escritora Patrícia Secco. “Ela conheceu o nosso trabalho em uma das exposições que foram para São Paulo, se interessou, e vai escrever um livro sobre a história do Instituto. Ela vai entrevistar os voluntários, todo o pessoal envolvido para escrever o livro”, comemorou Fabiana.

A exposição de fotografias, a primeira do Instituto, chamada de “Ártemis - deusa, mulher, guerreira” fez bastante sucesso com o público, que demonstrou um novo olhar sobre a força e a delicadeza das mulheres que passaram pela doença. Outra novidade para este ano é uma nova sessão de fotos com as pacientes. “Temos um projeto com o fotógrafo André Alexandre para fazer uma nova exposição com outra proposta, mostrando a superação, a vida que segue mesmo com a doença. Temos muitas pacientes novas e todas querem ser fotografadas”, destacou Fabiana.
 


Colunistas