Logotipo

Autistas agora contam com carteirinha preferencial em Paranaguá

04 de setembro de 2019

União de Famílias pelo Autismo (UFA) comentou a conquista e a parceria com o Poder Público municipal

Compartilhe

A Secretaria Municipal de Educação (Semedi) entregou carteirinhas para alunos com autismo, em Paranaguá. Com a carteirinha, os alunos têm prioridade para atendimento em estabelecimentos comerciais, bancos e cinemas, por exemplo, sem a necessidade de apresentar laudos médicos ou outros documentos comprobatórios.

O documento foi elaborado com base na Lei Federal 12.764/12, que trata sobre a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (T.E.A). Pais e responsáveis poderão apresentar a carteirinha em todo o território nacional.

A conquista foi alcançada por meio de uma solicitação da União de Famílias pelo Autismo (UFA), criada há pouco mais de ano em Paranaguá por um grupo de mães de filhos autistas. O objetivo da associação é preencher uma lacuna de desconhecimento existente na sociedade sobre o autismo. Esta é a primeira iniciativa criada no município com o olhar voltado para a conscientização em escolas, empresas, órgãos públicos e na orientação das famílias.

PAIS AVALIAM A CONQUISTA

A presidente da UFA, Elci Matos do Carmo, afirmou que este foi um passo muito importante e simboliza o envolvimento do município com a causa.  “Agora não teremos que estar com muitos documentos e laudos, porém é muito mais significativo todo o comprometimento do Poder Público em nos ajudar”, afirmou Elci.

A vice-presidente da UFA, Sara Caroline Alves, disse que a associação ficou muito feliz com um dos resultados da iniciativa.

“Estamos super felizes em concluir algo que fazia parte de um planejamento juntamente com os pais, fizemos parcerias com a secretária de educação, Vandecy Dutra, com vereadores e com o prefeito. Em especial queremos agradecer a nossa secretária visionária que nos atendeu da melhor forma possível, essa meta foi uma conquista para os pais que vivem em constante luta e que vestiram a camisa do autismo”, afirmou Sara.

A associação, que tem pouco mais de um ano, tem estruturado o trabalho no município com o objetivo de conscientizar cada vez mais pessoas sobre o autismo. “Estamos nos estruturando com força, mas também com alianças. Acredito que Paranaguá tem crescido muito em relação ao atendimento especializado em autismo e a UFA, juntamente com esses pais, tem buscado os direitos dos nossos filhos. Só temos a agradecer por nos ter confiado essa missão”, ressaltou Sara.

A 2.ª secretária da UFA, Cibele Nagel Vaz é mãe de Enzo Gabriel Nagel, de seis anos, diagnosticado com autismo, e contou como a carteirinha vai ajudar.

“Por muitas vezes, em uma fila preferencial, passamos ainda muitos constrangimentos, devido ao autismo não ser um transtorno a olhos físicos. Essa carteirinha nos facilita e auxilia nessas horas. Buscamos sempre a conscientização para que isso seja usado a favor deles, tendo em vista que não precisamos mais andar sempre com um laudo, apenas mostrar essa carteirinha, o que já facilita para termos esse atendimento que é garantido por lei. Ficamos muito felizes, pois é uma conquista para todas as famílias”, relatou Cibele.

Ela lembrou que Paranaguá tem uma lei municipal que garante o direito de usar a fila preferencial em supermercados, bancos e postos de saúde, por exemplo.

Cibele é mãe de Enzo, de seis anos, diagnosticado com autismo

MUNDO AZUL

Além de citar os benefícios da carteirinha para autistas no município, Cibele contou um pouco mais sobre a história de seu filho, Enzo. “Ele era um bebê como outro qualquer, lindo, muito saudável. Mas, aos oito meses, apresentou uma falta de sono muito intrigante. Por dois meses ele não dormia, tinha sempre o sono interrompido por horas, chorava muito e gritava muito também, como se fosse de dor. Os médicos examinavam e não notaram nenhuma doença”, contou Cibele.

Aos 11 meses, Cibele documentou por meio de filmagens as reações de Enzo e mostrou para uma neuropediatra.

“Ela prontamente o diagnosticou com Transtorno de Terror Noturno e, após seis meses, identificou o autismo. Com um ano e oito meses, com os laudos em mãos, busquei ajuda da Escola Maria Nely Picanço, a Apae de Paranaguá, onde estivemos por quatro anos tendo todo atendimento de que ele precisava, sempre com ótimos profissionais que davam todo atendimento pedagógico e técnico, através da nossa querida Mariza Barbosa, pedagoga da Apae”, comentou a mãe.

Cibele é muito grata ao atendimento recebido na Apae. Hoje, Enzo está no ensino regular, na Escola Municipal Almirante Tamandaré, onde também apresenta evolução. “Meu filho é mundo azul, ele me dá forças todo dia e eu aprendo tudo com ele, mais do que ensino”, destacou a mãe do Enzo.

COMO CONSEGUIR A CARTEIRINHA

A carteirinha poderá ser feita tanto para crianças como para adultos com autismo. Para isso, é preciso que o responsável legal compareça ao CMAE (Centro Municipal de Avaliação Especializada), na Rua Rodrigues Alves, n.º 530, com os documentos originais, comprovante de residência e laudo médico. Mais informações pelo telefone (41) 3420-2857.


Colunistas