conecte-se conosco

Cidadania

Amigos de bombeiro aposentado fazem campanha para troca de prótese

Carlos Sabino é socorrista e atua salvando vidas

Publicado

em

Os amigos de Luiz Carlos Sabino estão realizando uma campanha para que ele possa adquirir uma prótese para a perna direita. Ele é atleta e bombeiro aposentado e atualmente trabalha como socorrista no Órgão Gestor de Mão de Obra (OGMO). 

É justamente para facilitar suas atividades esportivas que as pessoas mais próximas de Sabino iniciaram a campanha.

“No mês passado, nós fizemos a inscrição dele em uma competição de triathlon em Matinhos, sem que ele soubesse. Foi uma surpresa, pois ele sempre gostou de praticar esportes”, contou Rodrigo Kuch, amigo de Sabino.

Das três provas que integram o triathlon, ele participou apenas da natação devido às limitações de sua prótese atual para correr e pedalar. Após a competição, surgiu a ideia para que o atleta voltasse a competir na corrida e também no ciclismo.

Para isso os amigos fizeram a doação de uma bicicleta speed carbono aro 27, avaliada em R$ 12 mil para ser rifada. Os bilhetes estão sendo vendido por R$ 25 e o sorteio será feito pela Loteria Federal.

“Esta campanha será para auxiliar na compra de uma prótese para ele poder pedalar e correr. Hoje ele somente nada. A prótese custa R$ 48 mil. Será sorteada no dia 28 de julho, antes do simpósio técnico do Tri Inverno da Triativa Eventos. Este sorteio sairá mesmo que haja cinco pessoas que acreditarem nesta campanha, pois a bike já está paga”, destacou o amigo Rodrigo.

As pessoas interessadas em ajudar devem adquirir os bilhetes na loja de materiais de construção Carvalho ou no Restaurante Vieira Grill.   

ACIDENTE

Luiz Carlos Sabino completa 57 anos no dia 1.º de junho. Ingressou no Corpo de Bombeiros há 26 anos. Desde 2001 atua como socorrista no OGMO.

Em 2004, um acidente de trânsito mudou sua vida. Após uma noite de trabalho, ao retornar para casa foi atingido por um caminhão na Rua Professor Cleto, próximo à Avenida Ayrton Senna.

“Eu só não morri porque mantive a calma e tenho conhecimentos de resgate. Quando percebi que estava sem a perna, pedi um cinto para uma pessoa que estava próxima. Amarrei na altura da coxa para estancar o sangue e a partir daquele momento iniciei minha luta para adaptação a uma nova vida”, recordou.  

Em 2005, Sabino começou a usar a primeira prótese e foi fazendo sucessivas trocas para se adequar e recomeçar.

“Eu sempre gostei de ajudar as pessoas, de ser útil à sociedade. De imediato não pensei em me aposentar. Retornei ao trabalho no Corpo de Bombeiros, mas não me senti bem e me aposentei. Continuei trabalhando apenas como socorrista e estou até hoje, ajudando a salvar vidas”, destacou.  

 

Sabino ladeado pelos amigos Rodrigo Ronald, Rodrigo Kuck e Otavia Cristina

Continuar lendo
Publicidade

Em alta