Connect with us

Centro de Letras

Água da Chuva

Para evitar vandalismo ou barrar práticas individuais, a solução utilizada era força policial…

Publicado

em

O sistema de água potável encanada fez parte de um projeto maior de modernização urbana (baseado nos ideais europeus de cidade moderna) e além da transformação do espaço físico, seria necessário realizar mudanças comportamentais. Para evitar vandalismo ou barrar práticas individuais, a solução utilizada era força policial, reprimindo diretamente quem desviava do padrão de “bom cidadão”, alvos facilmente localizáveis.

Mas se a normatização fosse sobre todo o corpo social, alterando e extinguindo hábitos gerais (antes considerados normais), o processo era mais complexo. Não se tratava apenas de reprimir vagabundos e sim de mudar o comportamento da população inteira. Antes de enviar a polícia era preciso transformar o certo em errado, ou seja, com alterações nas leis o normal viraria crime; os discursos encarregavam-se do convencimento.

Em 1912 – antes da inauguração do sistema de água – um longo artigo no jornal local afirmou ser praticamente impossível manter a higiene e cuidar da saúde, pois faltava água inclusive para o banho, quem dirá de boa qualidade para beber. Cabia às autoridades resolverem primeiro o problema da carestia. Porém, os parnanguaras poderiam cooperar aproveitando mais a água da chuva; líquido precioso e abundante.

O discurso do jornal mudou quando chegou o sistema de água: de recurso natural e de boa qualidade, captar água da chuva virou infração. Todos deveriam esquecer este hábito retrógrado e avançar em direção ao novo, acabando com os vasilhames anti-higiênicos e acumuladores de mosquitos, principalmente porque a taxa básica garantia acesso à quantidade suficiente (e todos eram obrigatoriamente conectados ao sistema). Não havia escolha, o cidadão precisava obedecer à vigilância sanitária – abandonando uma prática porque foi transformada em infração – e aceitar a nova lei, entendendo ou não, concordando ou não. Caso contrário, haveria punição.

Por Alexandre Camargo de Sant’Ana

Continuar lendo
Publicidade

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.