Logotipo

Juíza da 1.ª Vara Criminal de Paranaguá visita a Folha do Litoral News

01 de agosto de 2018

A juíza, Dra. Cíntia Graeff, foi recebida pelos diretores, Antonio Saad Gebran Sobrinho, Jacqueline Guimbala, Luiz Carlos Bonzatto e filha Júlia Bonzatto; pela editora-chefe, Aline Benvenutti, e pela jornalista, Gabriela Perecin

Compartilhe

O jornal Folha do Litoral News recebeu na manhã de quarta-feira, 1.º, a juíza da 1.ª Vara Criminal de Paranaguá, Dra. Cíntia Graeff, a qual foi recepcionada pelos diretores Antonio Saad Gebran Sobrinho, Jacqueline Guimbala, Luiz Carlos Bonzatto; pela editora-chefe, Aline Benvenutti, e pela jornalista, Gabriela Perecin.

A representante da 1.ª Vara Criminal discorreu sobre a celeridade dos processos e a agilidade que foi dada aos júris populares para dar uma resposta mais rápida à sociedade nos casos de homicídios e demais crimes.

Segundo a juíza, isso só foi possível pela concentração dos júris realizados semanalmente, que conseguiram colocar a pauta em dia. “De modo que os processos após a sentença de pronúncia, que é a decisão que determina que o processo será julgado pelo tribunal do júri, não tenha um intervalo muito grande entre a pronúncia e a data da sessão de julgamento. Antes, a nossa pauta tinha mais de um ano, porque havia um acúmulo muito grande de júris para serem realizados e hoje essa pauta já está em dois meses e a ideia é reduzir ainda mais”, revelou.

A agilidade dos processos também mostra à sociedade que um trabalho efetivo é realizado para a punição dos responsáveis e para a consequente inibição de crimes. “É o caráter de prevenção geral, da sanção penal, que através dela há repressão não só da pessoa que está sendo punida, mas também uma prevenção geral a toda a população”, reiterou Cíntia.

TRIBUNAL DO JÚRI

O júri popular é aberto para que toda a população que tenha interesse acompanhe o desfecho dos casos, muitos de grande repercussão. Eles acontecem às quintas-feiras no Fórum de Paranaguá localizado na Avenida Gabriel de Lara, n.º 771, a partir das 9h.

Já para atuar no tribunal do júri e exercer sua cidadania, os interessados devem realizar um cadastro no site www.tjpr.jus.br/cadastramento-de-jurados ou diretamente no Fórum. “O cadastro pode ser feito pelo site do Tribunal de Justiça e é interessante não só para fazer valer essa garantia que é prevista na constituição, mas para que todos os cidadãos conheçam o poder judiciário e a forma de atuação do Tribunal do Júri”, acrescentou a juíza.


Colunistas