Logotipo

Ministro da Agricultura realiza visita técnica no Porto de Paranaguá

14 de dezembro de 2017

Movimentação de cargas supera a marca de 50 milhões de toneladas

Compartilhe

Superando a marca de 50 milhões de toneladas em movimentação de cargas nesta semana, o Porto de Paranaguá recebeu na quarta-feira, 13, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, para uma visita técnica. O recorde anterior foi de 46,1 milhões de toneladas, registrado em 2013.

 

 

Mais de 35 milhões de toneladas, ou seja, 70% do total, correspondem a produtos agrícolas como soja, fertilizantes, açúcar e milho. O ministro afirmou que a marca histórica acontece no mesmo ano em que o Brasil teve a sua maior safra agrícola.

“Para chegar até aqui não é um trabalho simples do porto, há centenas de pessoas envolvidas na logística e no transporte, mas se não tivéssemos uma boa administração, na qual todos os envolvidos possam trabalhar e ter a mesma direção, certamente não estaríamos comemorando. Parabéns a todos, é um resultado maravilhoso para o Brasil”, disse o ministro.

Maggi lembrou, ainda, que o Brasil é responsável pela produção e destinação de alimentos a mais de 150 países, com saldo na balança comercial de 75 bilhões de dólares. “O agronegócio é o grande negócio do Brasil. O porto é a nossa porta de saída dos produtos que produzimos, são 240 milhões de toneladas de grãos, 1,6 bilhão de toneladas de todos os produtos que nós temos como açúcar, café, etanol, sucos, carnes etc. É o que tem sustentado o País nos últimos tempos”, destacou o ministro.

 

“O agronegócio é o grande negócio do Brasil”, enfatizou o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi

 

Para apresentar resultados ainda maiores, o ministro acredita que o Governo Federal pode e deve ajudar no desenvolvimento por meio do apoio a iniciativas privadas.

“Não podemos ser aquele que atrapalha e sim aquele que ajuda a iniciativa privada. E aqui no porto, as expansões que estão sendo feitas vêm justamente da iniciativa privada. Por isso, cabe ao governo e ao porto deixar tudo pronto para que haja investimento sem aborrecimentos de ter que parar e retomar obras”, reiterou Maggi.

DATA HISTÓRICA

Para o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino, esta é uma data histórica, que demonstra que existem condições de atender bem ao agronegócio, comércio e indústria no Paraná. Isso só foi possível devido aos investimentos nos últimos cinco anos.

“A recuperação e a ampliação da capacidade fizeram com que conseguíssemos atender 50 milhões sem filas de caminhões”, declarou Dividino.

 


“Clientes que foram embora para outros portos, agora voltaram para o Porto de Paranaguá”, ressaltou o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino

 

Sendo assim, na visão do diretor-presidente, o Porto de Paranaguá é a melhor solução logística disponível para o agronegócio brasileiro.

“Devemos chegar até 51,2 milhões até o fim do mês. Nós crescemos quase o dobro que o segundo lugar entre os portos do País em percentual, isso mostra que o trabalho realizado reflete não só na produtividade do campo, mas nos clientes que foram embora para outros portos e agora voltaram para o Porto de Paranaguá”, ressaltou Dividino.

INVESTIMENTOS

O secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho, atribuiu o recorde alcançado pelo Porto de Paranaguá aos esforços em buscar clientes em todas as regiões do Paraná. Segundo ele, também foram fundamentais os investimentos em obras, trocas de equipamentos, troca de shiploaders e implantação de tecnologias. Uma delas é o sistema Carga On-line, a qual possibilita que o caminhoneiro receba no seu celular a situação da carga.

 


“O porto bateu mais de 37 recordes em 24 meses”, destacou o secretário de Estado de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho

 

Ainda com relação aos investimentos, o secretário lembrou as obras que em breve serão realizadas em Paranaguá como a construção de um viaduto no km 5, na intercessão com a BR-277, onde o tráfego costuma ser intenso devido à saída de caminhões e ao trânsito de veículos leves. Além da revitalização da Avenida Bento Rocha.

“Paranaguá é o berço do nosso Estado então são ruas pequenas em que temos que melhorar o escoamento. O viaduto dará acesso ao Pátio de Triagem, local onde os caminhões têm muita dificuldade de fazer a manobra. Na Avenida Bento Rocha não foram feitas obras de drenagem e as placas estão soltando, precisamos refazer a drenagem e todo o pavimento”, frisou o secretário José Richa Filho. A licitação para as obras já está concluída e os serviços devem iniciar no começo de 2018.

IMPACTO POSITIVO NA CIDADE

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, também prestigiou a solenidade com a presença do ministro da Agricultura, e agradeceu à equipe do porto que tornou esse recorde uma realidade no município.

“Parabenizo o Governo do Estado, felizmente os investimentos foram não só no porto, mas também na cidade de Paranaguá. Teremos a reforma da Avenida Bento Rocha e o viaduto e isso é muito importante para o município. Pela primeira vez uma gestão pensa desta forma no parnanguara e fico feliz do ministro poder ver isso. O Porto é uma referência para a América do Sul e tenho certeza de que outras coisas boas virão para a cidade”, disse Marcelo Roque.

Para o prefeito, os trabalhadores que atuam no porto também precisam ser lembrados como parte do alcance desse recorde. “Isso ocorreu graças aos estivadores, aos arrumadores, sindicato dos blocos e dos conferentes, a todos que militam na área portuária”, ressaltou.

 

RECORDES

O recorde de 50 milhões de toneladas foi alcançado devido à conclusão de todas as obras de repotenciamento já entregues. O aumento foi de mais de 11% em relação ao ano passado e é maior que o dobro da média dos portos brasileiros , que cresceram 5% em relação a 2016.

 


O recorde anterior foi de 46,1 milhões de toneladas, registrado em 2013

 

Outros 16 recordes foram alcançados ao longo deste ano como o maior embarque anual e mensal de soja, maior volume embarcado em um dia, em um mês, em um semestre e em um ano no corredor de exportação, a maior exportação de veículos de toda a história e a maior movimentação de caminhões no Pátio de Triagem.

Também participaram da solenidade de comemoração do recorde de movimentação o capitão de Mar e Guerra da Capitania dos Portos do Paraná, Germano Teixeira da Silva, e a vice-prefeita de Antonina, Valéria Regina Fernandes de Oliveira.

 

 


Evento marcou a data histórica de quebra de recorde do Porto de Paranaguá







Colunistas