Logotipo

Fertilizantes: Custos de produção devem agitar mercado

19 de outubro de 2018

Os custos de produção e de matérias-primas para os fertilizantes estão em patamares elevados e com tendência de alta para o quarto trimestre.

Compartilhe

 

“Somando os custos de produção aos baixos estoques globais e à demanda acima do comum, esperamos preços bem sustentados nos próximos meses"

Os custos de produção e de matérias-primas para os fertilizantes estão em patamares elevados e com tendência de alta para o quarto trimestre. De acordo com o analista da INTL FCStone, Fábio Rezende, o mercado historicamente apresenta um movimento oposto nesta época do ano. 

“Somando os custos de produção aos baixos estoques globais e à demanda acima do comum, esperamos preços bem sustentados nos próximos meses, talvez mantendo a tendência de alta. Com as margens dos produtores ainda bastante apertadas no início do quarto trimestre, e tendência de alta dos custos de produção, é difícil visualizar um cenário de queda significativa dos preços no curto prazo”, afirma. 

Uma das matérias-primas que mais registrou alta foi o gás natural, que é utilizado para a fabricação de amônia, ingrediente dos fertilizantes nitrogenados e dos fosfatados DAP e MAP. De acordo com o analista, o preço bateu as máximas desde 2014, impulsionado pela alta do petróleo e pelo rápido crescimento da demanda na Ásia. 

“Tendo em vista o aperto no balanço global de petróleo – principalmente após o início das sanções contra o Irã em novembro – e a chegada do inverno no hemisfério norte – quando a demanda por gás para aquecimento dispara –, o cenário permanece de alta para o combustível”, comenta. 

Por outro lado, a safras recordes de milho, trigo, arroz e soja nos principais produtores agrícolas do mundo têm impulsionado o consumo dos fertilizantes. “Mesmo com a redução sazonal das aplicações com a aproximação do inverno no hemisfério norte, compras para abastecimento de estoques devem se manter”, conclui.

Fonte: Agrolink

 

Colunistas