Logotipo

Cargill é eleita empresa mais inclusiva e diversa do agronegócio brasileiro

06 de novembro de 2019

Guia Exame de Diversidade reconheceu projetos que valorizam os funcionários

Compartilhe

A primeira edição do Guia Exame de Diversidade elegeu a Cargill, que atua em Paranaguá nos serviços de recebimento, armazenagem e embarque, como aempresa mais inclusiva e diversa do agronegócio brasileiro. Com o apoio do Instituto Ethos, o guia premia empresas em prol de equidade de gênero e racial, inclusão de pessoas com deficiência e direitos LGBTI+.

A assessoria de imprensa da Cargill informou que o levantamento identificou as melhores práticas de diversidade e inclusão adotadas pelas empresas brasileiras, levando em consideração as ações afirmativas e projetos voltados ao público interno, atração e desenvolvimento de talentos, e conscientização do tema junto aos líderes, funcionários e comunidades que nos cercam.

O guia ainda premiou empresas de outros segmentos como a General Motors (autoindústria), Grupo Boticário (bens de consumo), John Deere (bens de capital), Techint (construção civil), Accenture (consultoria), Schneider Electric (eletrônicos), Santander (instituições financeiras), Shell (químico e petroquímico), Atento (serviços), Novelis (siderurgia), SAP (tecnologia), Carrefour (varejo) e Trench Rossi e Watanabe (pequena e média empresa).

Segundo a empresa, a Cargill trabalha com quatro projetos que colaboraram para alcançar tal posto: Cargill Pride Network, AfroCargill, MOB – Mulheres Operando no Brasil e Rede IN.

Cargill Pride Network

O projeto Cargill Pride Network tem como objetivo proporcionar um ambiente de trabalho acolhedor e inclusivo para os funcionários que se identificam com o grupo. “O grupo se empenha na promoção e inclusão LGBTI+ por meio de networking, desenvolvimento e compartilhamento de conhecimento e a construção de uma rede de relacionamentos”, afirmou a empresa.

Além disso, ainda foi implantado o Aliados (Ally), um programa educacional para todos os funcionários da empresa que desejam aprender como promover um ambiente de trabalho mais igualitário.

“Ao se inscrever no programa, o funcionário é convidado para um treinamento inicial e passará a receber materiais educativos e convites para outros fóruns, que o ajudarão a entender a temática com mais propriedade e adotar comportamentos mais inclusivos em relação aos seus colegas, amigos e familiares LGBTI+”, disse a empresa. A iniciativa fez com que a Cargill tenha hoje mais de 300 aliados em todo o País.

AfroCargill

Na busca de um ambiente onde todos possam ter condições iguais, independentemente de sua etnia, foi criado o projeto AfroCargill. “O Brasil tem um legado histórico construído com base na exploração do suor, cujos impactos refletem nas questões sociais, econômicas e profissionais dos negros no Brasil. Para atingir seu objetivo, o grupo se propõe a observar a equidade no que diz respeito à cor ou etnia dos funcionários dos diferentes níveis hierárquicos da Cargill e desenvolve um plano de trabalho para promoção da igualdade e valorização étnico-racial”, observou a Cargill.

MOB – Mulheres Operando no Brasil

Com foco nas mulheres em cargos de protagonismo, a empresa criou um grupo, o MOB, em 2015, para inspirar, conectar, educar e apoiar seu desenvolvimento. “A proposta do grupo é transformar a Cargill na empresa de escolha para mulheres e, para isso, as incentiva a exercer suas funções com excelência e coragem, acreditando em primeiro lugar em sua capacidade de liderança e execução”, frisou a empresa.

O projeto visou, inicialmente, à área de Operações, já que é um setor culturalmente composto por homens. No entanto, o grupo foi ampliado para atingir mais funcionários.

“As iniciativas e projetos do grupo são compartilhadas com todos os funcionários que possuem interesse em participar e contribuir com a causa. Hoje, 13% dos membros do MOB são homens”, salientou a Cargill.

Rede IN

O Rede IN, de acordo com a empresa, é um projeto que tem como missão suportar os princípios éticos da Companhia na promoção de um ambiente de trabalho inclusivo e diverso, onde pessoas com diferentes habilidades tenham oportunidade de alcançar alto desempenho, gerando resultados para o negócio. “Para isso, a rede convidou todos os funcionários, PCDs (Pessoas com Deficiência) ou não, a participarem desta jornada como líderes transformadores”, concluiu, em nota, a empresa.


Colunistas